Em entrevista telefónica à Lusa, o presidente da ALEP, Eduardo Miranda, adiantou que em conjunto com o Governo, Turismo de Portugal e plataformas tecnológicas estão a criar “condições de operacionalização” numa plataforma para a Internet, para que médicos, enfermeiros e outros profissionais de saúde possam candidatar-se a ficar a dormir em unidades de Alojamento Local, localizadas perto dos hospitais e, dessa forma, protegerem as suas famílias.

“É um projeto que estamos a ultimar. (…) Acreditamos que no prazo de um ou dois dias comece a ser lançado oficialmente o projeto em conjunto com os parceiros tecnológicos e as entidades governamentais”, declarou, acrescentando que foram “desafiados” pelos titulares de Alojamento Local a desenvolverem um projeto.

Neste momento estão a traçar o plano para saber como é que as pessoas se “inscrevem”, “protocolos de limpeza”, “cobertura básica de custos”, entre outros detalhes.

Há um voluntariado “muito grande” da parte dos empresários do Alojamento Local, refere Eduardo Miranda, assumindo, todavia, que muitos estão “praticamente fechados”, “sem receitas” e com risco de falência”, mas que, mesmo assim, estão a ter disponibilidade para colaborar no plano.

Eduardo Miranda explicou que, na primeira fase, estão a ser privilegiadas as moradias e apartamentos próximos dos hospitais, para os profissionais de saúde poderem ter o “exclusivo da casa” e aliviarem o “contágio” da família neste processo.

Numa segunda fase, os hostels e ‘guests houses’ podem, eventualmente, também vir a ajudar na oferta de quartos, mas nessas unidades hoteleiras tem de ser visto como é que, por exemplo, funcionará a “gestão da partilha dos espaços comuns”, concluiu.

O Governo anunciou hoje um conjunto de linhas de crédito para apoio à tesouraria das empresas no montante total de 3.000 milhões de euros, destinadas aos setores mais atingidos pela pandemia Covid-19, com um período de carência até ao final do ano e que podem ser amortizadas em quatro anos.

A ALEP refere que também está a contactar plataformas tecnológicas para desenvolver soluções tecnológicas para entrar na parceria e está a falar com o Turismo de Portugal e o Governo para “criar condições de operacionalização” das candidaturas, como é que as pessoas se “inscrevem”, “protocolos de limpeza”, “cobertura básica de custos”, etc.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou esta quarta-feira o número de casos confirmados de infeção para 642, mais 194 do que na terça-feira. O número de mortos no país subiu para dois.

Dos casos confirmados, 553 estão a recuperar em casa e 89 estão internados, 20 dos quais em Unidades de Cuidados Intensivos.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, convocou uma reunião do Conselho de Estado para hoje, para discutir a eventual decisão de decretar o estado de emergência.

O coronavírus responsável pela pandemia da Covid-19 infetou mais de 200 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 8.200 morreram.

O surto começou na China, em dezembro, e espalhou-se por mais de 146 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.