Desde que foi decretado o estado de emergência, em 22 de março, as forças de segurança detiveram 333 pessoas e encerraram 2.203 estabelecimentos comerciais.

Em comunicado, o MAI precisa que, entre as 00:00 de 18 de abril e as 17:00 de hoje, foram detidas 41 pessoas por crime de desobediência, 17 das quais por desobediência à obrigação de confinamento obrigatório, 22 por desobediência ao dever geral de recolhimento domiciliário, uma por desobediência ao encerramento de instalações e estabelecimentos e outra por desobediência às regras de funcionamento na prestação de serviços.

O MAI refere que, durante o mesmo período, foram encerrados 63 estabelecimentos por incumprimento das normas estabelecidas.

Os dados divulgados pelo Ministério tutelado por Eduardo Cabrita dizem respeito ao terceiro período do estado de emergência decretado para combater a pandemia de covid-19, que começou no sábado e termina em 02 maio.

O MAI sublinha que a estes números hoje divulgados juntam-se as 108 detenções por crime de desobediência e o encerramento de 1.708 estabelecimentos comerciais durante o primeiro período do estado de emergência, de 22 de março a 02 de abril, e as 184 detenções e os 432 estabelecimentos encerrados no segundo período, que decorreu entre 03 e 17 de abril.

Durante o terceiro período do estado de emergência, a Guarda Nacional Republicana e a Polícia de Segurança Pública continuam a desenvolver uma “intensa atividade de sensibilização, vigilância e fiscalização junto da população”.

O Ministério da Administração Interna insiste ainda no cumprimento rigoroso das medidas impostas pelo estado de emergência, “perante a imperiosa necessidade de todos contribuírem para conter o contágio da covid-19”.

Em Portugal, morreram 785 pessoas das 21.982 registadas como infetadas, de acordo com os últimos dados da Direção-Geral da Saúde.

A nível global, segundo um balanço da AFP, a pandemia de covid-19 já provocou cerca de 178 mil mortos e infetou mais de 2,5 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.