Em comunicado hoje divulgado, o presidente do Conselho de Administração da ENSE, Filipe Meirinho, aponta que, apesar do estado de emergência que entra em vigor às 00:00 de domingo, “os postos de abastecimento de combustíveis são considerados estabelecimentos que fornecem bens essenciais para o funcionamento básico da sociedade, pelo que devem permanecer abertos ao público no horário que até aqui foi praticado”.

“Nesse sentido, a ENSE vai continuar a assegurar uma monitorização contínua sobre a aplicação desta medida, mantendo a já habitual ligação e cooperação estreita com todos os operadores, numa altura em que o normal funcionamento do setor petrolífero nacional é um desígnio nacional”, acrescenta o responsável.

Filipe Meirinho adianta, na nota, que a ENSE “continua a assegurar a existência dos 90 dias de reservas de segurança de petróleo e produtos petrolíferos, pelo que, num eventual cenário de emergência energética, esta entidade está pronta para desencadear as respostas consideradas adequadas para salvaguardar o normal fornecimento do mercado”.

Apesar das restrições ao direito de circulação previstas no estado de emergência, declarado devido à pandemia de covid-19, os veículos particulares podem circular na via pública para realizar as atividades permitidas ou para reabastecimento em postos de combustível.

O novo coronavírus, classificado pela Organização Mundial de Saúde como pandemia, causou pelo menos 11.401 mortos em todo o mundo, depois de ter sido identificado pela primeira vez em dezembro de 2019.

Ao todo, já foram detetados mais de 271.660 casos de infeção em 164 países e territórios.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.