“O Ministério da Educação limitou-se a fazer o mais fácil, adiando provas e exames por um número de dias semelhante ao de prolongamento do ano letivo”, reagiu a estrutura sindical em comunicado.

No entender da Fenprof, as alterações hoje anunciadas traduzem “falta de coragem política e incapacidade para compreender a situação que vivem hoje os alunos” por parte da tutela, que deveria ter ido mais além.

Em concreto, a estrutura sindical defende o cancelamento das provas finais de 9.º ano, devido às desigualdades acentuadas pelo atual regime de ensino a distância, e também das provas de aferição.

“Não tem sentido manter as provas de aferição, pois os constrangimentos e as condições de trabalho verificadas este ano influenciarão, necessariamente, os resultados, retirando-lhes importância e interesse”, justificam.

Por outro lado, os representantes dos professores defendem que nos exames nacionais do secundário os alunos beneficiem de regras semelhantes àquelas do ano passado, em que as provas contaram apenas para o acesso ao ensino superior e foram critérios de avaliação excecionais.

Para o curto prazo, acrescenta a Fenprof, a avaliação final do 2.º período deverá ser qualitativa, de forma a promover uma maior equidade entre os alunos.

“Assim, tal como acontece nos casos em que a organização é semestral, seriam consideradas duas avaliações de caráter sumativo, as dos 1.º e 3.º períodos”, explicam.

Segundo o novo calendário hoje divulgado pelo Ministério da Educação e publicado em Diário da República, a primeira fase dos exames nacionais do secundário vai realizar-se duas semanas depois do inicialmente previsto, entre 2 e 16 de julho.

A segunda fase dos exames nacionais do secundário também avança cerca duas semanas, para os dias 01 a 07 de setembro, e as provas finais de ciclo de 9.º ano, previstas para decorrer entre 17 e 25 de junho, passam para 28 de junho a 02 de julho.

As provas de aferição dirigidas aos alunos dos 2.º, 5.º e 8.º anos também têm novas datas, realizando-se na sua maioria entre os dias 14 e 21 de junho, com exceção da prova de componente oral da prova de inglês de 5.º ano, que será entre 27 de maio e 09 de junho.

Em entrevista à Rádio Renascença, o ministro da Educação revelou que as primeiras provas de aferição, previstas para decorrer entre os dias 03 e 11 de maio, foram canceladas, o que significa que os alunos do 2.º ano não irão realizar provas a Educação Física e Expressões Artísticas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.