"O Governo [Regional] teve uma atitude bastante positiva de auscultar, e acho que é bastante importante podermos estar em diálogo e percebermos as preocupações mútuas nesta situação", declarou o presidente da Câmara Municipal do Funchal à saída do encontro que decorreu na presidência do executivo madeirense, na Quinta Vigia.

Miguel Silva Gouveia, que governa o maior município da Região Autónoma da Madeira, de coligação Confiança (PS, BE, PDR e Nós, Cidadãos!), adiantou que tem mantido também um "diálogo permanente" com o representante da República.

O autarca argumentou que esta "pandemia não é algo que vá passar de um dia a outro e requer diálogo permanente na procura de soluções" por parte de todas as autoridade envolvidas, considerando que "neste momento não há muita margem para falar".

Por isso, defendeu que, neste "cenário que se vai agravando de dia para dia", sejam adotadas as "medidas que foram testadas e estão em prática noutros locais", a nível nacional.

"O Funchal, neste momento, qualifica-se no primeiro nível elevado, já com 307 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias", referiu o responsável da autarquia, indicando que as perspetivas não são de regressão.

Sobre a aplicação de medidas que sugeriu ao Governo Regional da Madeira, nesta reunião para a qual foi convocado junto com os outros autarcas, enunciou "o dever de recolhimento fora do período noturno, restrições à circulação no período noturno, algumas restrições à organização de eventos", vincando que são as que estão "plasmadas e tipificadas para concelhos com o nível de gravidade" do Funchal.

Por seu turno, o presidente do município de Câmara de Lobos, o social-democrata Pedro Coelho, realçou que este é um "concelho de risco elevado", pelo que as medidas aplicar "não são uma questão local, mas nacional".

"Todos temos de ser responsáveis e todos vamos trabalhar para combater esta pandemia", disse, rejeitando a possibilidade de a Câmara de Lobos voltar a estar sujeita a uma cerca sanitária.

Em abril, devido à existência de 54 confirmados na freguesia de Câmara de Lobos, na zona oeste da Madeira, esta localidade ficou em cerca sanitária durante 15 dias.

Desde o início da pandemia, este concelho reportou 249 casos confirmados do novo coronavírus.

Também o presidente da Câmara da Ribeira Brava, na zona oeste da Madeira, esteve nesta reunião, tendo Ricardo Nascimento indicado que o município tem "três cadeias ativas e estão a aparecer novos casos".

"As situações estão a ser todas identificadas", complementou, mencionando o "caso emblemático do grupo da matança do porco" que acabou por resultar em 37 infetados e "fez disparar o número de casos" neste concelho.

Ricardo Nascimento opinou que existem "outras cadeias que também estão ativas", reforçando que estes próximos "esta semana será crucial para ver o que se vai desenvolver" neste município.

O concelho da Ribeira Brava regista 44 casos ativos desde o início da pandemia, de acordo com a autoridade regional de saúde da Madeira

De acordo com os últimos dados divulgados domingo pela Direção Regional de Saúde, a Madeira reportou 65 novos casos positivos de covid-19, menos 11 que os notificados sábado, totalizando 734 situações ativas, das quais 558 são de transmissão local.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.