Itália

A Itália registou 1.229 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, um número superior aos 1.008 de segunda-feira, segundo os dados do Ministério da Saúde.

No país italiano foram realizados mais de 80.000 testes, ou seja mais 35.000 do que na segunda-feira, o que pode explicar a deteção de mais pessoas contagiadas, segundo as autoridades.

No último dia foram registados também nove óbitos, menos cinco do que no dia anterior.

Com os novos dados, o número total de casos no país desde o início da emergência pandémica, a 21 de fevereiro, é de 289.990 contágios e 35.633 mortes.

O número de pacientes em Unidades de Cuidados Intensivos continua a aumentar, ultrapassando os 200, e os internados com sintomas em todo o país chegam a 2.222, enquanto mais de 37.000 infetados estão isolados em casa.

A região da Lombardia, a mais afetada pela pandemia, especialmente na primeira vaga, foi a que mais registou novas infeções com 176, seguida pela Ligúria, com 141, e Lácio, cuja capital é Roma, com 139.

Reino Unido

O Reino Unido registou 3.105 infeções e 27 mortes resultantes de covid-19 nas últimas 24 horas, informou o ministério da Saúde britânico, refletindo um agravamento da situação no país, que está a colocar pressão no sistema de testagem.

Na segunda-feira tinham sido contabilizados 2.621 novos casos e nove mortes.

O total acumulado desde o início da pandemia covid-19 no Reino Unido passou hoje para 374.228 de casos de contágio confirmados e para 41.664 óbitos num período de 28 dias após um teste positivo.

O ministro da Saúde britânico, Matt Hancock, admitiu hoje no parlamento que “a pandemia está a crescer: há sinais de que o número de casos em lares de idosos e de hospitalizações está a aumentar novamente”.

O ministro afirmou que o sistema de testagem tem um “papel crucial” no combate ao coronavírus e que as autoridades estão a trabalhar no aumento da capacidade diária, atualmente em cerca de 375 mil testes, mas dos quais apenas 227 mil foram processados até segunda-feira.

Porém, Hancock reconheceu a existência de “desafios operacionais”, as quais estão a limitar o número de testes disponíveis em localidades com necessidade, o que resulta em as pessoas serem encaminhadas para centros de teste a centenas de quilómetros.

Devido ao aumento de pessoas “que não são elegíveis”, o Governo disse que vai ser dada prioridade a pacientes com sintomas e necessidade de assistência médica, seguida por residentes e cuidadores em lares de idosos.

A organização NHS Providers, que representa os hospitais públicos britânicos, revelou hoje que muitos profissionais de saúde estão em isolamento por falta de testes, mas o ministro disse que vai demorar “uma série de semanas” para resolver o problema.

Na semana passada, o primeiro-ministro, Boris Johnson, manifestou a intenção de aumentar “num futuro próximo” a capacidade do sistema para milhões de testes por dia, para permitir que as pessoas possam ir ao teatro ao eventos desportivos, mas vários especialistas manifestaram reservas sobre a viabilidade.

Na segunda-feira entraram em vigor novas restrições a nível nacional, limitando o número de ajuntamentos a seis pessoas em espaços interiores e exteriores.

Espanha

Espanha contabilizou hoje 9.437 novos casos de covid-19, elevando para 603.167 o número total de infetados até agora, segundo números divulgados pelo Ministério da Saúde espanhol.

Por outro lado, o país registou mais 156 mortes com a doença nas últimas 24 horas, aumentando o total de óbitos para 30.004.

Madrid continua a ser a comunidade autónoma com o maior número de infeções, tendo registado mais 3.595 do que o número notificado na segunda-feira.

Deram entrada nos hospitais com a doença nas últimas 24 horas 1.229 pessoas, das quais 380 em Madrid, 176 na Andaluzia e 105 na Catalunha.

Tiveram alta do hospital 1.035 pessoas com o novo coronavírus, estando ainda hospitalizadas 9.752 pessoas em todo o país, dos quais 1.273 em unidades de cuidados intensivos.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 929 mil mortos no mundo desde dezembro do ano passado, incluindo 1.875 em Portugal.

Na Europa, o maior número de vítimas mortais regista-se no Reino Unido (41.664 mortos, mais de 374 mil casos), seguindo-se Itália (35.633 mortos, quase 290 mil casos), França (30.950 mortos, mais de 387 mil casos) e Espanha (30.004 mortos, mais de 600 mil casos).

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.