Segundo as autoridades sanitárias italianas, no mesmo período foram contabilizados mais 14.242 novos casos de contágio do novo coronavírus, o que aumenta para 2.303.263 o total acumulado de infeções desde o início da crise sanitária no país, em fevereiro de 2020.

A taxa de positividade, depois de realizados quase 142 mil testes de diagnóstico nas últimas 24 horas, é de pouco mais de 10%, o que significa uma ligeira descida face aos dias anteriores.

O número de injetados hospitalizados subiu em 109, para os 23.712, tendo reduzido em seis os que se encontram internados em unidades de cuidados intensivos, pelo que se fixou em 2.636.
Mais de meio milhão de infetados estão ainda isolados em casa.
A Itália continua com a campanha de vacinação em bom ritmo, tendo sido já administrada a primeira dose da vacina da Pfizer a 731.539 pessoas.

Segundo o Instituto Superior de Saúde (ISS) italiano, que assessoria o Governo, as primeiras 47.000 vacinas da Moderna, que chegaram hoje ao país, serão distribuídas nos próximos dias às regiões italianas que tenham o maior número de habitantes maiores de 80 anos.

O Governo italiano está a ultimar um novo decreto com mais restrições para tentar travar a terceira vaga da pandemia e, para quarta-feira, está previsto que o ministro da Saúde, Roberto Speranza, compareça no Parlamento para o apresentar mais pormenorizadamente.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.