Reino Unido

O Reino Unido registou mais 119 mortes de covid-19 e 581 casos de infeção nas últimas 24 horas, anunciara as autoridades de saúde britânicas.

Durante a pandemia de covid-19, o país somou até agora 45.878 mortes e 300.692 casos de contágio confirmados.

De acordo com os dados divulgados pela direção geral de saúde de Inglaterra (Public Health England), estão hospitalizados 1.286 pacientes, dos quais 97 a receber apoio por ventilador.

Na segunda-feira o Reino Unido tinha registado sete mortes e 685 novos casos, mas os dados relativos ao fim de semana, são sistematicamente baixos devido ao atraso do processo administrativo.

Hoje, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, alertou para o risco de um agravamento da situação, na sequência dos "sinais de uma segunda vaga” noutros países europeus, justificando assim a imposição de restrições às viagens para Espanha.

"Claramente, agora enfrentamos, receio, a ameaça de uma segunda vaga em algumas partes da Europa e precisamos de estar vigilantes e ter muito cuidado”, disse, durante uma visita a Nottinghamshire.

No domingo, o governo removeu a Espanha da lista segura de destinos, o que significa que qualquer pessoa que chegue daquele país ao Reino Unido terá de ficar de quarentena durante 14 dias.

Itália

A Itália registou 11 mortes com a covid-19 nas últimas 24 horas, elevando o número total de óbitos para 35.123, no dia em que o primeiro-ministro, Giuseppe Conte, pediu um prolongamento do estado de emergência.

O boletim da Proteção Civil italiana disse que já se observaram 246.488 casos de contágio com o novo coronavírus, desde o início da pandemia no país, o que representa um aumento de 202 casos desde segunda-feira.

O Governo italiano está determinado a envolver o Parlamento na estratégia de luta contra a pandemia e, hoje, Giuseppe Conte pediu aos deputados que aprovem uma extensão do estado de emergência, que expira em 31 de julho, até 31 de outubro.

O chefe de Governo italiano explicou que o Conselho de Ministros “não quer criar um sentimento injustificado de medo ou de alarme, mas apenas manter as medidas organizacionais efetivas aplicadas até agora”, para que Itália continue a ser “um país que os turistas queiram visitar e onde os italianos se sintam seguros”.

Conte disse que a “Itália é atualmente um país seguro” e que a curva de transmissão diminuiu acentuadamente desde abril, quando o número de infeções atingiu o pico, mas lembrou que “o vírus continua a circular no país, dando origem a novos surtos, que têm sido rapidamente identificados e controlados”.

Segundo a Proteção Civil, nas últimas 24 horas foram curadas 163 pessoas e o número de contágios efetivo é agora de 12.609, com 40 pacientes em cuidados intensivos.

A Lombardia, a região mais afetada, teve 53 casos de novas infeções nas últimas 24 horas, seguida da Campânia, com 29 novos casos de contágio, onde as autoridades estão preocupadas com a chegada de turistas nacionais e estrangeiros, pelo que já fizeram saber que estão agradadas com a extensão do estado de emergência.

O estado de emergência em Itália permite que o Governo mantenha as decisões de restrições sanitárias atuais, que, de outra forma, perderiam o seu efeito, explicou hoje Conte, referindo-se à necessidade de manter a pressão na luta contra a pandemia.

“A monitorização da saúde dos migrantes” e o cumprimento da sua quarantena é uma ferramenta necessária e oportuna para a proteção da saúde pública, explicou o primeiro-ministro.

Espanha

Os casos diários de infeção pelo novo coronavírus voltaram a subir em Espanha, com o país a registar 905 novos contágios nas últimas 24 horas, em particular na região de Aragão (nordeste), anunciou hoje o Ministério da Saúde espanhol.

Com estes novos casos, o país totaliza, desde o início da pandemia da doença covid-19, 280.610 pessoas infetadas.

Os dados hoje divulgados representam um aumento de 50 casos face aos contabilizados no domingo (855).

Também voltam a superar a barreira dos 900 casos diários, situação que já tinha sido verificada na passada quinta-feira (971) e na última sexta-feira (922).

Dos 905 novos contágios, 357 foram diagnosticados na comunidade autónoma de Aragão, 147 em Madrid e 126 na Catalunha.

As autoridades espanholas indicaram ainda que nos últimos sete dias as comunidades autónomas notificaram seis mortes, o que eleva para 28.436 o número total de vítimas mortais registadas no país, até à data, devido à covid-19.

Nas últimas semanas, marcadas pelo processo de desconfinamento, Espanha têm registado o aparecimento de vários surtos por todo o território, o que obrigou, em certas regiões específicas, a recuar na estratégica e a impor novamente algumas restrições.

Desde que o novo coronavírus foi detetado na China, em dezembro do ano passado, a pandemia da doença covid-19 já provocou mais de 654 mil mortos e infetou mais de 16,5 milhões de pessoas em todo o mundo, segundo o balanço mais recente feito pela agência France-Presse (AFP).

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.