Na quarta-feira tinham sido notificadas nove mortes e 9.055 casos, este valor também um máximo dos últimos meses.

Nos últimos sete dias, entre 11 de junho e hoje, a média diária foi de 11 mortes e 8.404 casos, o que corresponde a uma subida de 41,8% no número de mortes e de 33,7% no número de infeções relativamente aos sete dias anteriores.

A média diária de pessoas hospitalizadas foi de 179 nos sete dias entre 07 e 13 de junho, um aumento de 43% face aos sete dias anteriores.

Estudos de monitorização da universidade Imperial College London publicados hoje mostram que as taxas de contágio estão a aumentar sobretudo em grupos etários que ainda não estão vacinados.

A maioria dos casos foi encontrada em crianças de cinco a 12 anos e jovens de 18 a 24 anos, porém há sinais de que o crescimento dos casos pode estar a desacelerar graças à proteção dada pelas vacinas.

O plano do Governo de vacinar todos os adultos até 19 de julho "fará uma grande diferença e aumentará a quantidade total de imunidade da população", acrescenta o professor Paul Elliot, que dirige o estudo.

Novos dados divulgados esta semana pelas autoridades de saúde britânicas indicam que as vacinas Pfizer (96%) e AstraZeneca (92%) são eficazes na proteção contra sintomas da variante Delta que levem à hospitalização após duas doses.

O ministro da Saúde, Matt Hancock, anunciou hoje que todos os maiores de 18 anos serão elegíveis para obter uma vacina a partir de sexta-feira, sendo o objetivo que todos os adultos no Reino Unido tenham uma primeira dose até 19 de julho.

Desde dezembro foram inoculadas 42.216.654 pessoas com uma primeira dose de uma vacina contra a covid-19, o que corresponde a 80,1% da população adulta.
Além disso, 30.675.207 pessoas, ou seja, 58,2% da população adulta, já receberam também a segunda dose.

Itália regista 1.325 novos casos e ultrapassa 44 milhões de vacinas administradas

A Itália registou 1.325 novas infeções de covid-19 e 37 mortes nas últimas 24 horas, indicou o Ministério da Saúde, no mesmo dia em que ultrapassou as 44 milhões de doses de vacinas administradas no país.

Com esses dados, a Itália acumula um total de 4.249.755 infetados desde o início da emergência sanitária no pai, em fevereiro de 2020, dos quais 127.190 doentes morreram.

As novas infeções permanecem em mínimos, no nível de setembro de 2020, embora sejam ligeiramente superiores aos 1.325 contágios contabilizados na quarta-feira.

A pressão hospitalar continua a cair, e das 98.608 pessoas atualmente positivas, 2.888 estão hospitalizadas, menos 176 do que na quarta-feira.

Desses, 444 estão internadas em unidades de cuidados intensivos, menos 27 do que na véspera, enquanto a grande maioria está isolada em casa com sintomas ligeiros ou assintomática.

Em relação à campanha de vacinação, 14,81 milhões de italianos já receberam as duas doses da vacina, 27,31% da população com idade superior a 12 anos, e um total de 44.022.041 doses da vacina foram administradas.

Com estes números de clara melhoria da pandemia, a Itália continua a avançar para o desconfinamento e, a partir de segunda-feira, mais de metade do país – cerca de 40 milhões de pessoas – vai estar em regiões classificadas como “zonas brancas”, ou seja, sem restrições, apenas com o uso de máscara.

Espanha regista 4.197 novos casos e 19 mortes nas últimas 24 horas

A Espanha registou 4.197 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, elevando para 3.753.228 o total de infetados até agora, segundo o Ministério da Saúde espanhol.

Os serviços sanitários também notificaram mais 19 mortes atribuídas à pandemia desde quarta-feira, havendo agora um total de 80.634 óbitos.

A incidência acumulada (contágios) continua a sua trajetória descendente, passando de 99 (quarta-feira) para 97 casos diagnosticados por cada 100.000 habitantes.

As comunidades autónomas com os níveis mais elevados são as de Andaluzia (177), La Rioja (155), País Basco (127), Navarra (108), Catalunha (99), Aragão (95) e Madrid (92).

Nas últimas 24 horas, deram entrada nos hospitais de todo o país 313 pessoas com a doença (337 na quarta-feira), das quais 80 na Andaluzia, 58 em Madrid e 53 na Catalunha.

Por outro lado, desceu para 2.959 o número de hospitalizados com covid-19 (3.089), o que corresponde a 2,4% das camas, dos quais 835 pacientes estão em unidades de cuidados intensivos (853), 8,9% das camas desses serviços.

Os serviços do Ministério da Saúde também anunciaram hoje que 13,6 milhões de pessoas já estão completamente vacinadas contra a covid-19 (28,7% da população total), e 22,4 milhões têm pelo menos uma das doses (47,1%), em cerca de 47,3 milhões de habitantes que tem o país.

A ministra da Educação, Isabel Celaá, indicou hoje que pretende que os estudantes com mais de 12 anos sejam vacinados em setembro, mas "pode ser que, por uma questão de logística, os estudantes sejam vacinados na primeira semana de setembro, a primeira semana do curso, a fim de os ter a todos juntos".

Numa entrevista à televisão pública espanhola, Celaá sublinhou também que não está ainda decidido se os alunos serão vacinados nas escolas, um assunto que "corresponde a dizer o Ministério da Saúde", nem como será a utilização de máscaras nas escolas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.