No boletim diário desta quinta-feira, a DGS informa que "às 19 horas, Portugal não registava casos confirmados de infeção por coronavírus (COVID-19)". No total, segundo a mesma fonte, "foram registados até agora 52 casos suspeitos, 36 dos quais tiveram resultado negativo após testes laboratoriais, aguardando-se resultados dos restantes."

O número diário de novos casos suspeitos aumentou hoje, uma vez que na quarta-feira, dia em que passou a ser divulgado o boletim epidemiológico do Covid-19, Portugal tinha registado nas 24 horas anteriores oito novos casos suspeitos, todos provenientes do norte de Itália.

A DGS reiterou hoje que, "tendo em conta a situação epidemiológica mundial, "é necessário considerar a hipótese da importação de casos de doença de cidadãos provenientes da China ou de outras áreas com transmissão comunitária ativa", designadamente o norte de Itália, Coreia do Sul, Singapura, Japão ou Irão.

O risco para a saúde pública em Portugal é considerado moderado a elevado, segundo a Direção-Geral da Saúde, que promete publicar diariamente o boletim epidemiológico do Covid-19 pelas 18:00, o que não sucedeu hoje.

O único caso conhecido de um português infetado pelo novo vírus é o de um tripulante de um navio de cruzeiros que foi internado num hospital da cidade japonesa de Okazaki, situada a cerca de 300 quilómetros a sudoeste de Tóquio.

O Covid-19, detetado em dezembro na China e que pode causar infeções respiratórias como pneumonia, já provocou mais de 2.800 mortos e infetou mais de 82 mil pessoas, de acordo com dados reportados por 48 países e territórios.

Das pessoas infetadas, mais de 33 mil recuperaram.

Além de 2.744 mortos na China, há registo de vítimas mortais no Irão, Coreia do Sul, Itália, Japão, Filipinas, França, Hong Kong e Taiwan.

A Organização Mundial de Saúde declarou o surto do Covid-19 como uma emergência de saúde pública internacional e alertou para uma eventual pandemia, após um aumento repentino de casos em Itália, Coreia do Sul e Irão.

(Artigo atualizado às 21:39)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.