Segundo comunicado divulgado pelo Ministério da Saúde, "foram realizados, em média, cerca de 64.000 testes por dia até ao dia 26 de julho de 2021, o que corresponde ao valor mais elevado desde março de 2020".

É ainda referido que, em 2021, "foram realizados, até ao momento, mais de 60% da totalidade dos testes de diagnóstico desde o início da pandemia, com os meses de abril, maio, junho e julho (até 26 de julho) a concentrarem cerca de 40% do número total de testes efetuados".

Por sua vez, "de 1 a 26 de julho, realizaram-se, em território nacional, cerca de 1,66 milhões de testes de diagnóstico, incluindo mais de 740 mil Testes Rápidos de Antigénio (TRAg) de uso profissional. Estes dados não incluem os autotestes".

O Ministério da Saúde destaca ainda que "do total de testes realizados desde o início da pandemia, 32,2% foram feitos no Serviço Nacional de Saúde, 58,5% nos privados e 9,3% na academia/outros" e que foram realizados "cerca de 11,9 milhões de testes RT-PCR e aproximadamente 3,1 milhões de TRAg de uso profissional".

"Este aumento da testagem em Portugal assenta no plano de promoção da operacionalização da estratégia de testagem em Portugal que tem três eixos de intervenção: testagem dirigida, testagem programada e testagem generalizada", pode ler-se.

"Este plano vai ao encontro das recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) quanto à imprescindibilidade da testagem para a deteção precoce de casos de infeção e para a identificação e isolamento dos seus contactos, possibilitando um controlo eficiente das cadeias de transmissão, e dá continuidade a um vasto programa de testagem, massiva e sistemática, alinhado com a Estratégia Nacional de Testes para SARS-CoV-2, tal como definido pela Norma n.º 019/2020 da Direção-Geral da Saúde", é referido.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.