Esta terça-feira Portugal conta 1.342 mortes causadas pela covid-19, mais 12 do que ontem. O novo coronavírus já infetou 31.007 pessoas (mais 219, em relação a segunda-feira). Dos 219 novos casos, 211 são em Lisboa e Vale do Tejo.

"Alguns surtos mais ou menos localizados" justificam os números, disse a diretora-geral da Saúde. Pequenos focos no Seixal e Almada estão também a contribuir para os aumentos.

Covid-19 em Portugal

Quem suspeitar estar infetado ou tiver sintomas - que incluem febre, dores no corpo e cansaço - deve contactar a linha SNS24 através do número 808 24 24 24 para ser direcionado pelos profissionais de saúde. Não se dirija aos serviços de urgência, pede a Direção-Geral da Saúde (DGS).

A DGS e o Governo criou para o efeito vários sites onde concentra toda a informação atualizada e onde pode acompanhar a evolução da infeção em Portugal e no mundo. Pode ainda consultar as medidas de segurança recomendadas e esclarecer dúvidas sobre a doença.

O Governo também lançou um site que funciona como um guia prático para apoiar cidadãos, famílias e empresas no combate aos efeitos causados pela pandemia.

Poderá ainda acompanhar a cobertura da covid-19 no Especial Coronavírus do SAPO24.

Na Azambuja, foram identificadas 125 pessoas positivas, com dois casos novos em duas empresas diferentes, disse ainda a diretora-geral da Saúde aos jornalistas, na habitual conferência de imprensa para atualização dos dados sobre a pandemia.

18.096 doentes já recuperaram da doença — mais 274 que ontem.

“Portugal passou a barreira dos 750 mil testes de diagnóstico à covid-19. O aumento de testagem continua, porém a não se refletir num aumento proporcional de casos o que é seguramente um bom indicador”, disse o governante.

No dia em que Portugal apresenta uma taxa de letalidade global de 7,3% e uma taxa de letalidade em pessoas com mais de 70 anos de 16,7%, o secretário de Estado da Saúde também destacou, no arranque da conferência de imprensa e ao lado da diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, que estão “mais de 430 mil utentes inseridos na plataforma ‘Trace Covid’, dos quais 14.700 em vigilância clínica”.

Quanto à linha de aconselhamento psicológico, esta tem vindo a receber em média cerca de 200 chamadas por dia, enquanto a linha de atendimento para surdos recebeu, desde 21 de abril, “mais de 70 chamadas”.

Nos hospitais existem ainda 513 pessoas internadas, das quais 71 estão em unidades de cuidados intensivos (UCI). São menos 18 internados e menos um internado em UCI, em relação aos números de ontem.

A recuperar em casa estão 11.056 pessoas.

A região Norte é a que regista o maior número de mortos (752), seguida da região de Lisboa e Vale do Tejo (325), do Centro (234), do Algarve (15), dos Açores (15) e do Alentejo, que regista um óbito, adianta o relatório da situação epidemiológica, com dados atualizados até às 24:00 de segunda-feira, mantendo-se a Região Autónoma da Madeira sem registo de óbitos.

Em comparação com os dados de segunda-feira, em que se registavam 1.330 mortos, hoje constatou-se um aumento de óbitos de 0,9%.

Relativamente ao número de casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus (31.007), os dados da Direção-Geral da Saúde (DGS) revelam que há mais 219 casos do que na segunda-feira (30.788), representando uma subida de 0,7%.

Questionada sobre a situação no hospital Dona Estefânia, em Lisboa, Graça Freitas diz que não há informação de alterações face ao cenário de ontem, quando se registavam 14 crianças internadas, duas dos quais em cuidados intensivos, naquela unidade hospitalar pediátrica.

A pandemia do novo coronavírus já matou pelo menos 346.296 pessoas e infetou mais de 5,5 milhões em todo o mundo desde dezembro, segundo um balanço da agência AFP, às 11:00 hoje, baseado em dados oficiais dos países.

Foco no Bairro da Jamaica soma 16 casos

Um foco de infeções no chamado Bairro da Jamaica, no Seixal, conta para já com 16 casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus.

"Na área do agrupamento de centros de saúde de Almada e Seixal temos três pequenos focos comunitários, que no total têm até à data identificadas 32 pessoas como positivas", adiantou Graça Freitas.

“Obviamente que as autoridades de saúde deste ACES, a Câmara Municipal do Seixal e outros intervenientes têm atenuado diretamente nos bairros onde se estão a passar estes fenómenos e têm atuado diretamente nos aglomerados familiares destas pessoas para tentar encontrar casos secundários e quebrar cadeias de transmissão”, afirmou a diretora-geral.

Na Azambuja estão, atualmente, confirmadas 125 pessoas infetadas pelo novo coronavírus, tendo sido registados dois novos casos em duas empresas, precisou Graça Freitas, adiantando que um destes decorreu de um contacto domiciliário e não em contexto laboral.

Questionada sobre a eventual necessidade de encerrar algumas destas empresas, Graça Freitas afirmou apenas que, “apesar de ser um polo industrial muito importante, a situação está sob observação e tende para o controlo”.

“A política de testes está a ser feita de acordo com a estratificação do risco, obedece a um determinado plano e têm-se encontrado muitos poucos casos positivos nos últimos dias”, acrescentou.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo estão, no total, 11.359 pessoas sob vigilância das autoridades de saúde, incluindo os contactos próximos das pessoas que se encontram nos focos de contágio, de forma a acompanhar e quebrar a cadeia de transmissão.

“A situação em Lisboa é complexa e está sob observação, mas também está sob medidas de controlo muito apertadas”, sublinhou Graça Freitas, elogiando o trabalho das autoridades de saúde locais.

Portugal está a avaliar a reabertura das fronteiras

O secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales diz que a situação nas fronteiras está a ser avaliada, mas adianta também que não há ainda nenhuma decisão.

As autoridades de saúde atualizaram hoje os números da pandemia de covid-19 em Portugal.

Ainda há 285 casos em lares

Portugal regista 285 casos de infeção covid-19 em lares, número que “representa uma diminuição”, disse hoje o secretário de Estado da Saúde, indicando que 1.760 utentes testaram positivo, dos quais 190 estão internados em hospitais.

“Continuamos empenhados em proteger os mais vulneráveis, em identificar e em conter focos da doença, enquanto continuamos a preparar o Serviço Nacional de Saúde, não só para a resposta imediata à covid e não covid, como para garantir capacidade de resposta em cada fase desta pandemia que é flexível, dinâmica e imprevisível”, disse António Lacerda Sales.

O governante, que falava aos jornalistas na conferência de imprensa diária de balanço sobre a pandemia de covid-19 em Portugal, disse que o número de casos em estruturas residenciais para idosos, as chamadas ERPIs, registou “uma diminuição”.

“Quanto aos lares, registamos 285 casos de infeção por covid-19, o que representa uma diminuição. São 11,3% do universo de ERPIs. No Alentejo, por exemplo, não há casos”, disse o secretário de Estado da Saúde.

António Lacerda Sales acrescentou que atualmente o registo é de 1.760 utentes positivos, dos quais 190 estão internados em unidades hospitalares.

Maioria dos mortos tinha mais de 80 anos

Segundo os dados da Direção-Geral da Saúde, 686 vítimas mortais são mulheres e 656 são homens.

Das mortes registadas, 904 tinham mais de 80 anos, 261 tinham entre os 70 e os 79 anos, 120 tinham entre os 60 e 69 anos, 41 entre 50 e 59, 15 entre os 40 e os 49, e um dos doentes tinha entre 20 e 29 anos.

Os dados da DGS precisam que o concelho de Lisboa é o que regista o maior número de casos de infeção pelo novo coronavírus (2.206, seguido por Vila Nova de Gaia (1.552), Porto (1.347), Matosinhos (1.272), Braga (1.213) e Gondomar (1.079).

Desde o dia 01 de janeiro, registaram-se 313.886 casos suspeitos, dos quais 1.815 aguardam resultado dos testes.

Há 281.064 casos em que o resultado dos testes foi negativo, refere a DGS, adiantando que o número de doentes recuperados subiu para 18.096 (mais 274).

A região Norte continua a registar o maior número de infeções, totalizando 16.697, seguida pela região de Lisboa e Vale do Tejo, com 9.778, da região Centro, com 3.690, do Algarve (363) e do Alentejo (254).

Os Açores registam 135 casos de covid-19 e a Madeira contabiliza 90 casos confirmados, de acordo com o boletim hoje divulgado.

A DGS regista também 26.392 contactos em vigilância pelas autoridades de saúde.

Do total de infetados, 17.922 são mulheres e 13.085 são homens.

A faixa etária mais afetada pela doença é a dos 40 aos 49 anos (5.212), seguida da faixa dos 50 aos 59 anos (5.162) e das pessoas com mais de 80 anos (4.457).

Há ainda 4.605 doentes com idades entre 30 e 39 anos, 4.001 entre os 20 e os 29 anos, 3.440 entre os 60 e 69 anos e 2.514 com idades entre 70 e 79 anos.

A DGS regista igualmente 598 casos de crianças até aos nove anos e 1.018 jovens com idades entre os 10 e os 19 anos.

De acordo com a DGS, 40% dos doentes positivos ao novo coronavírus apresentam como sintomas tosse, 29% febre, 21% dores musculares, 20% cefaleia, 15% fraqueza generalizada e 12% dificuldade respiratória. Esta informação refere-se a 91% dos casos confirmados.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 346 mil mortos e infetou mais de 5,5 milhões de pessoas em todo o mundo.

Mais de 2,1 milhões de doentes foram considerados curados pelas autoridades de saúde.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.