Segundo a atualização semanal do Reino Unido, após avaliação dos cientistas, o índice manteve-se no intervalo entre 0,8 e 1, o que significa que, em média, cada 10 pessoas infetadas vão infetar entre oito e 10 outras pessoas.

Na véspera tinham sido notificadas 53 mortes e 3.030 novos casos, mas a média dos últimos dias é de 32 mortes e 2.829 casos.

Nos últimos sete dias, entre 3 e 9 de abril, houve uma redução de 25,8% no número de mortes e de 32,2% no número de casos com um resultado de teste positivo de covid-19 em relação aos sete dias anteriores.

No total, morreram no Reino Unido 127.040 pessoas entre 4.365.461 casos de contágio confirmados desde o início da pandemia covid-19.

Até quinta-feira, 31.903.366 pessoas receberam a primeira dose de uma vacina contra o novo coronavírus, das quais 6.541.174 receberam uma segunda dose, a qual é administrada com um intervalo de entre três e 12 semanas.

Já a Espanha registou 10.875 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, elevando para 3.347.512 o total de infetados até agora no país, continuando os contágios a subir, segundo os dados divulgados hoje pelo Ministério da Saúde espanhol.

Os serviços de saúde também contabilizaram desde quinta-feira 149 mortes atribuídas à covid-19, passando o total de óbitos para 76.328.

O nível de incidência acumulada (contágios) em Espanha subiu de 175 (quinta-feira) para 182 (hoje), diagnosticados por 100.000 habitantes nos 14 dias anteriores.

As regiões com os níveis mais elevados são as de Navarra (395), Madrid (324), País Basco (295), Aragão (202) e Catalunha (199).

Nas últimas 24 horas deram entrada nos hospitais em todo o país 1.133 pessoas com a doença (1.136 na quinta-feira), das quais 286 em Madrid, 268 na Catalunha e 196 na Andaluzia.

Por outro lado, baixou para 9.359 o número de hospitalizados com a covid-19 (9.384), o que corresponde a 7,5% das camas, das quais 2.050 pacientes em unidades de cuidados intensivos (2.024), 20,5% das camas desse serviço.

A maior parte das 17 comunidades autónomas espanholas, que são competentes em matéria de política de saúde, decidiu manter as restrições à mobilidade e outras medidas em vigor durante a Páscoa, tendo 14 delas conservaram a atual cerca sanitária das suas regiões, assim como as cidades autónomas do norte de África de Ceuta e Melilla.

Apenas a Comunidade de Madrid e as Ilhas Canárias levantam essa cerca sanitária a partir das 00:00 deste sábado, e as Ilhas Baleares fá-lo-ão na segunda-feira, 12 de abril.

O fim do acordo entre o Ministério da Saúde espanhol e as comunidades autónomas para reduzir a mobilidade na Páscoa não vai significar, assim, uma flexibilização das restrições.

Enquanto algumas regiões, como as Astúrias ou Valência, tornaram mais flexíveis as medidas em vigor, a maioria optou por manter ou apertar ainda mais essas medidas, tomando em consideração a evolução crescente dos contágios de covid-19.

Entretanto, um relatório da Agência Espanhola de Medicamentos publicado hoje indica que apenas 0,18% dos vacinados no país com o fármaco da AstraZeneca, 1.792 em 985.528 pessoas, referiram ter sofrido qualquer tipo de efeitos secundários adversos, como febre, dores de cabeça e dores musculares.

Esta autoridade também anuncia que, do total de 6.125.119 doses de vacinas administradas até essa data, foram recebidas 11.182 notificações de eventos adversos (0,18%).

No documento, a organização alerta para "alguns eventos adversos" de inflamação localizada em pessoas vacinadas com o medicamento da Pfizer, que tinham recebido anteriormente injeções de enchimento na pele do rosto (por exemplo, ácido hialurónico), tendo o folheto informativo (bula) que ser atualizado, no caso de se confirmar.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.