O Santo Padre nomeou D. Manuel da Silva Rodrigues Linda, 61 anos, como bispo da Diocese do Porto, confirma o boletim de imprensa do Vaticano.

A informação foi partilhada no sítio de internet da diocese, onde o próprio Manuel Linda já publicou uma mensagem aos católicos da região.

“Não é sem emoção que regresso ao Porto passadas quase quatro décadas depois da minha formação no seu seminário Maior”, sublinha o bispo, que dirige uma saudação a todos os católicos locais, com um “destaque especial para os mais débeis, os pobres, desempregados, doentes, idosos, detidos e quantos perderam os horizontes da esperança”.

Na mensagem, Manuel Linda nota que foi no Porto que surgiu “para a vida sacerdotal” e que exerceu “o sacerdócio colaborando na formação de novos padres”, regressando agora “como mais um de entre os muitíssimos que apostam tudo na evangelização e na promoção humana desta Diocese”.

De acordo com Manuel Linda, a diocese do Porto “sempre se distinguiu pela cultura dos seus membros, zelo missionário, santidade operante e sadia presença na sociedade”.

“Trabalharei no Porto como tenho feito até aqui: «com Pedro e sob Pedro». Mas também «à maneira de Pedro». Isto é, pretendo ser um «missionário da misericórdia», um pastor com «o cheiro das ovelhas», um pai dos Padres, um irmão dos mais pobres e um fomentador do espírito ecuménico e de diálogo”, descreve.

“Procurarei reconduzir a Igreja a uma tal simplicidade evangélica que a constitua referencial ético para o mundo atual”, acrescenta.

O novo bispo do Porto refere-se também a uma Igreja “reformanda” e “sensível aos sinais dos tempos”.

“Se «daqui houve nome Portugal», como nos garante Eugénio de Andrade, também floresça uma Igreja conduzida pelo Espírito, sensível aos sinais dos tempos e sempre "reformanda", como pede o Papa Francisco e exigem os nossos contemporâneos”, afirma.

O novo bispo do Porto agradece ao papa Francisco a nomeação, classificando-a como uma “prova de confiança”.

Manuel Linda dirigiu ainda uma mensagem às Forças Armadas e às Forças de Segurança, aludindo ao “pedido irrecusável” que lhe foi confiado pelo papa Francisco para “assumir a função de bispo da diocese do Porto”.

“Trata-se de um pedido irrecusável: quer os militares e polícias, quer nós, pessoas da Igreja, sabemos bem o que é obedecer e a força moral de uma «guia de marcha» para onde os nossos superiores entendem que somos necessários”, diz.

O novo bispo do Porto nota que a mudança gera no seu interior “uma extensa mancha de nostalgia e de saudade, já que, os quatro anos passados no meio castrense criaram relações e enraizaram amizades que não se podem ignorar”.

“Agora, compreendo melhor uma conhecida frase de Santo Agostinho de Hipona e que se aplica a mim próprio: «Não se deixa sem dor o que se possuiu com amor»”, afirma.

A Diocese do Porto saudou, entretanto, o seu novo bispo e o seu “regresso” ao local onde terminou o curso teológico, no Seminário Maior de Nossa Senhora da Conceição.

Fazendo votos por um “fecundo e frutuoso episcopado”, a Diocese diz que “a data da entrada solene, na Catedral do Porto, será comunicada a seu tempo”, refere uma nota dos bispos auxiliares António Taipa, Pio Alves e António Augusto Azevedo.

O anterior titular do cargo agora ocupado por Manuel Linda era António Francisco dos Santos, que morreu, vítima de ataque cardíaco, em 11 de setembro de 2017.

Desde essa altura, a segunda maior diocese portuguesa em número de paróquias (477, menos 74 do que Braga) tinha como administrador apostólico o bispo auxiliar António Maria Bessa Taipa.

Manuel Linda, o bispo que o Porto "recruta" na Diocese das Forças Armadas

O prelado, que até agora era bispo das Forças Armadas e de Segurança, começou por frequentar o Seminário Menor de Resende e depois o Seminário Maior de Lamego, e terminou o curso de Teologia em 1980 no Instituto de Ciências Humanas e Teológicas do Porto

Ordenado sacerdote em 10 de junho de 1981, Manuel Linda foi para a diocese de Vila Real, onde foi pároco, assistente diocesano da Ação Católica, Promotor de Justiça e Defensor do Vínculo no Tribunal Eclesiástico e responsável pela Pastoral Juvenil, segundo o sítio na Internet do Ordinariato Castrense.

Foi também capelão no Regimento de Infantaria de Vila Real e, durante 19 anos, reitor do seminário desta cidade, entre outros cargos.

“Paralelamente à sua atividade eclesiástica, licenciou-se em Humanidades pela Faculdade de Filosofia de Braga da Universidade Católica Portuguesa (1987), em Teologia pela Faculdade de Teologia (Porto) da mesma Universidade (1988), obteve a licenciatura canónica (estudos de segundo grau, equivalente ao Mestrado) em Teologia, pela Pontifícia Universidade Lateranense, em Roma (1991), e o doutoramento em Teologia, especialidade de Teologia Moral, pela Universidad Pontifícia Comillas, em Madrid (1998), com a tese “Andragogia política em D. António Ferreira Gomes”, refere o mesmo site.

Manuel Linda foi também professor em escolas básicas, secundárias e superiores, e, além da docência, desempenhou na vida académica várias funções.

Nomeado bispo auxiliar de Braga, em 27 de junho de 2009, pelo Papa Bento XVI, Manuel Linda passou a ter a seu cargo a Diocese das Forças Armadas e de Segurança a partir de janeiro de 2014, tendo sido escolhido pelo Papa Francisco em outubro do ano anterior.

Numa reação à sua nomeação por Francisco, afirmou então à Lusa que não iria “abençoar armas", que não seria um "líder sindical" e que iria pugnar por "incutir" valores humanos através da "motivação da harmonia" e estímulo à "boa camaradagem".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.