"O Facebook permite aos anunciantes dirigir os anúncios imobiliários que os utilizadores recebem em função de sua raça, cor, religião, sexualidade, estado civil, nacionalidade de origem e incapacidade...", condenou o departamento de Habitação dos Estados Unidos.

Alguns anúncios imobiliários são dirigidos apenas a certos utilizadores, enquanto outros são privados da informação em razão de sua incapacidade, religião ou outros elementos, acusou o departamento.

Certos anúncios não chegam a utilizadores cujo perfil no Facebook indicam "interesse ​na América Latina, Canadá, sudeste asiático, China, Honduras ou Somália".

"Não há lugar para discriminação no Facebook. Isto é proibido nos nossos regulamentos internos", respondeu, por seu lado, a rede social à AFP.  "No último ano fortalecemos os nossos sistemas para protegê-los do mau uso", acrescentaram os responsáveis do Facebook, destacando que irão cooperar "diretamente" com o departamento de Habitação para esclarecer estas preocupações.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.