A operação envolveu cerca de 250 agentes e investigadores que estiveram em 11 edifícios que pertencem ao construtor em Baden-Wurtemberg, Berlim, na Baixa Saxónia e na Saxónia, informou o Ministério Público em comunicado.

A justiça procurava "documentos de prova e material de armazenamento de dados" que sirvam de apoio à investigação.

O inquérito foi aberto em março tendo como alvo funcionários da Daimler AG por suspeita de "fraude" e "publicidade enganosa" sobre os níveis reais de poluição de viaturas a diesel do construtor, indicaram na altura as autoridades.

O fabricante automóvel reafirmou hoje que quer "cooperar plenamente com as autoridades", sem adiantar mais em relação ao processo em curso.

A origem do escândalo das emissões poluentes remonta ao outono de 2015 e atingiu em primeiro lugar o grupo Volkswagen, que terá equipado 11 milhões de veículos com um dispositivo destinado a manipular as emissões poluentes produzidas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.