Numa visita envolta em segredo, Kim Jong Un escolheu Pequim para a sua primeira viagem ao exterior como líder norte-coreano, e qualificou a visita como um "dever solene" para com a China.

Terceiro da dinastia familiar iniciada pelo seu avô, Kim Il Sung, e mantida pelo seu pai, Kim Jong Il", o jovem presidente norte-coreano transformou o seu país numa potência nuclear dotada de mísseis balísticos capazes de atingir os Estados Unidos.

Na área diplomática, Kim Jong Un retirou a Coreia do Norte do ostracismo internacional quando o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, decidiu reunir-se com ele para discutir a eliminação das armas nucleares da península coreana.

Ao assumir o poder, em 2011, era considerado vulnerável e passível de ser manipulado por membros graduados do regime, mas Kim foi eficiente ( e alegadamente violento) em silenciar vozes dissonantes, com uma política agressiva e provocadora diante da comunidade internacional.

Concentrou nas suas mãos o poder absoluto sobre o partido único e as Forças Armadas, destruindo potenciais adversários internos.

A sua vítima mais notável foi o seu influente tio Jang Song Thaek, executado em 2013 por traição, dando início a uma série de expurgas.

No ano passado, o seu meio-irmão Kim Jong Nam foi assassinado no aeroporto de Kuala Lumpur, num episódio digno da Guerra Fria, e as suspeitas recaíram sobre Pyongyang.

Apesar da repressão, que segundo organismos de direitos humanos mantém entre 80 mil e 120 mil norte-coreanos em campos de concentração, Kim esforça-se para parecer amável, pelo menos na propaganda oficial, na qual sorri e brinca com militares, funcionários e cidadãos comuns.

Líderes da China e Coreia do Norte reunem-se em Pequim
Líderes da China e Coreia do Norte reunem-se em Pequim
Ver artigo

O seu cabelo, roupa e modo de falar parecem querer recordar o fundador da Coreia do Norte, o seu avô Kim Il Sung, um personagem venerado.

A data de nascimento precisa de Kim Jong Un nunca foi revelada, mas ele é do início dos anos 80, filho de uma dançarina coreana nascida no Japão e terceira mulher do seu pai, falecida de cancro da mama em 2004.

O seu casamento com Ri Sol-Ju foi revelado apenas em julho de 2012, com a aparição de algumas fotos da jovem. Segundo a imprensa sul-coreana, o casal teve o terceiro filho no início de 2017.

Kim estudou na Suíça, sob os cuidados da sua tia materna Ko Yong-Suk e do marido, e é lembrado pelo pessoal da escola como um menino tímido que gostava de esquiar e ver os filmes de ação de Jean-Claude Van Damme.

China, uma amizade de peso na política internacional para Pyongyang
China, uma amizade de peso na política internacional para Pyongyang
Ver artigo

Surgiu publicamente na hierarquia norte-coreana em 2008, após o AVC sofrido pelo seu pai, quando o regime decidiu acelerar os preparativos para a sucessão.

Segundo as palavras do próprio Kim, a visita à China — sua primeira viagem oficial ao exterior como líder da Coreia do Norte — "foi meu dever solene, sendo alguém que deve cuidar e manter as relações RPDC-RPC através das gerações".

A reunião em Pequim precede a realização de encontros com Seul e Washington.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.