“Aquela zona está sinalizada porque existe risco de queda de pedras, mas as pessoas colocam os carros nessas zonas. Mas têm de pensar no perigo porque debaixo de uma escarpa há sempre o perigo de queda de rocha”, sublinhou Paulo Andrade à Agência Lusa.

Na terça-feira, pelas 16:30, ocorreu uma derrocada que atingiu a Estrada Regional 222, na Ribeira Brava, sem feridos a registar, apenas danos materiais em cerca de 10 carros.

“A escarpa toda, desde baixo a cima, está sinalizada já há uns meses. O Governo Regional vai fazer uma intervenção ao longo desta estrada regional em breve, só faltam uns processos do Tribunal de Contas e do fisco”, enfatizou o vereador da Câmara Municipal da Ribeira Brava, relembrando que esta situação de queda de pedras acontece em toda a Ilha da Madeira.

Paulo Andrade pediu “consciência” às pessoas, no que toca às escarpas.

Segundo o autarca, está a ser feita “uma monitorização por parte dos serviços”, para ver as condições da escarpa, trabalho que está a ser realizado em conjunto com a Direção Regional de Estradas da Região Autónoma da Madeira, com o intuito de avaliar o “ponto de situação”.

“Estamos a trabalhar em conjunto com as Estradas da Madeira para ver se há condições e, depois, a responsabilidade de abrir a estrada é deles, são eles que vão decidir”, declarou Paulo Andrade.

O vereador da Câmara Municipal da Ribeira Brava afirmou que não estava ninguém nos cerca de 10 carros danificados porque os proprietários dos veículos encontravam-se a assistir a um funeral.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.