No passado dia 24 de Janeiro de 2018, o SAPO24 publicou uma notícia intitulada “São mais do que três cartazes à beira da estrada”. A noticia é da autoria da jornalista Isabel Tavares.

O Movimento Indendente Renascer Oeiras 2017, nos termos dos artigos 24.º e ss. da Lei n.º 2/99, de 13 de Janeiro, vem exercer o seu Direito de Resposta aguardando o cumprimento dos trâmites seguintes.

Entende o Movimento Independente Renascer Oeiras 2017 que, no corpo da referida noticia, são retratados os casos do Concelho de Oeiras e do Pinhal Novo, o que desde logo se estranha, visto que o caso se repete em praticamente todos os Concelhos da àrea metropilitana de Lisboa e um pouco por todo o país.

Lamentavelmente, a jornalista em causa preferiu assumir uma postura redutora e pouco isenta no exercício de uma atividade tão nobre cuja finalidade deveria ser, tão somente, a de informar.

Ora, no caso de Oeiras, o destaque inicial é dado ao Movimento Independente Renascer Oeiras 2017, o que menos ainda se compreende. De facto, este Movimento foi o primeiro a retirar todas as estruturas de outdoors colocadas no Concelho. Existem, ainda, espelhadas por todas as freguesias, estruturas que aguardam a retirada por parte de todos os partidos e Movimentos (mas possivelmente não interessará divulgar tais informações).

Estarão em causa outro tipo de motivações?

Também foi o Movimento Independente Renascer Oeiras 2017 pioneiro na retirada dos cartazes colocados em postes para que fosse cumprida a lei e para que o espaço público deixasse de estar marcado pelo ruído da campanha eleitoral.

Em nada o Movimento se afastou, ou afasta, de quanto apresentou em sede de programa eleitoral aos Municipes de Oeiras.

Também é completamente falso que o Movimento tenha recebido qualquer subvenção estatal. Aliás, mais uma vez, se apela ao bom senso dos jornalistas para que levem a avante um trabalho sério e cuidado no exercício do jornalismo. É que, quem não sabe investiga e estuda: é o que fazem os profissionais dedicados!

Ora, se a jornalista autora da noticia em questão tivesse acautelado um trabalho de verdadeiro jornalismo saberia que, atendendo aos resultados obtidos, o Movimento não terá direito a qualquer subvenção estatal.

Mais saberia, também, que, o orçamento apresentado nada mais é do que uma estimativa de custos, que, no caso do Movimento, se apresentaram superiores aos que efetivamente foram gastos.

Assim, estranha o Movimento Independente Renascer Oeiras 2017 a postura adoptada pelo SAPO24 e não compreende as motivações para o ataque que é feito. A noticia induz claramente em erro o leitor, fazendo passar a ideia de que o Renascer Oeiras 2017 incumpriu a lei, as suas propostas eleitorais e com custos para o erário público.

Esta posição demonstra, como se disse, um profundo desconhecimento do assunto retratado e põe claramente em causa o bom nome deste Movimento e da candidata que o encabeçou.

Aguarda-se, assim, a publicação da presente Resposta com respeito porquanto legalmente previsto.

Linda-a-Velha, 20 de Fevereiro de 2018

O Mandatário do Movimento Independente Renascer Oeiras 2017

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.