Plenário é uma iniciativa pensada para alargar o debate nas legislativas de 6 de outubro a quem tenha ideias para apresentar para uma melhor governação do país. Há muito para discutir antes da ida as urnas e é por isso que queremos começar já a pensar o país que vamos ter (e ser) nos próximos quatro anos — e contamos com o seu contributo. Assim, lançámos o desafio, em forma de pergunta: Se fosse primeiro-ministro ou primeira-ministra nos próximos quatro anos, qual era o problema que resolvia primeiro? Ou, perguntando de outra forma: qual seria a sua prioridade para o país?

Eduardo Matos, barnabé da Acreditar, aceitou o desafio do SAPO24 e juntou-se ao Plenário. Se fosse primeiro-ministro nos próximos quatro anos a sua prioridade seria melhorar as condições de vida de que luta ou já lutou contra o cancro infantil.

Se eu fosse primeiro-ministro melhorava as condições de vida de quem luta e de quem lutou contra o cancro infantil. Ter um cancro não termina com a cura ou com a alta. Cerca de dois terços dos sobreviventes sofrem ou podem vir a sofrer de sequelas que vão ficar connosco até ao resto das nossas vidas, daí que o acompanhamento seja tão importante. Infelizmente, em Portugal, o único sítio onde estas consultas de acompanhamento após alta existem é o IPO de Lisboa. Por isso, se eu fosse primeiro-ministro, a primeira coisa que eu faria era alargar o modelo de consultas a todos os centros oncológicos do país. Acabaria também com o estigma social, que ainda existe. As pessoas acham que, após termos um cancro, nos tornamos pessoas diferentes. É muito difícil, mesmo após dezenas de anos de termos tido um cancro e de estarmos curados ter acesso a seguros de saúde e a seguros de vida. É completamente impossível pedirmos empréstimos para a compra de uma habitação. Se eu fosse primeiro-ministro, mostrava que acreditar vale a pena.

O que acha desta ideia? Deixe a sua opinião nos comentários deste artigo. Desejamos uma discussão construtiva, por isso todos os comentários devem respeitar as regras de comunidade do SAPO24, que pode ler aqui.


Queremos também o seu contributo para pensar o país. As legislativas acontecem a 6 de outubro, mas a discussão sobre o país que queremos ter (e ser) nos próximos quatro anos começa muito antes da ida às urnas. É esse o debate que o SAPO 24 quer trazer — e contamos consigo.

Saiba como participar aqui. Veja os contributos dos nossos convidados e leitores em 24.sapo.pt/plenario e, claro, junte-se ao debate. 

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.