Segundo o The Guardian, Emile Ratelband disse a um tribunal em Arnhem, na Holanda, que não se sentia "confortável" com a sua data de nascimento e comparou o seu desejo de alterá-la com os casos de pessoas que se identificam como transexuais e, por isso, querem mudar de género.

Além disso, Ratelband referiu que devido a ter uma idade oficial que não reflete o seu estado emocional luta para encontrar trabalho e amor. Por isso, a solução é simples: alterar a sua data de nascimento de 11 de março de 1949 para 11 de março de 1969.

"Tendo 69 anos fico limitado. Com 49 anos posso comprar uma casa nova, conduzir um carro diferente", referiu. "Posso arranjar mais trabalho. Quando estou no Tinder e digo que tenho 69 anos, não recebo uma resposta. Quando eu tiver 49 anos, com o rosto que tenho, vou estar numa posição luxuosa". No entanto, a Constituição holandesa proíbe a discriminação laboral com base na idade.

Quanto à decisão do tribunal, o juiz admitiu que a possibilidade de mudar de género era um desenvolvimento na lei. "Eu concordo consigo: há muitos anos nós pensámos que era impossível", disse. Contudo, perguntou ao solicitante como os seus pais se sentiriam se cerca de 20 anos de vida de Ratelband fossem varridos dos registos.

Também a nível legal, Ratelband admitiu estar disposto a renunciar ao seu direito à reforma para garantir que não existem consequências imprevistas devido à sua mudança de idade.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.