“Esses é que são os principais adversários do PDR, os outros partidos não são o que nos preocupa”, sublinhou.

Em declarações aos jornalistas, depois de percorrer parte da Rua de Santa Catarina e de uma visita ao Mercado temporário do Bolhão, Marinho e Pinto criticou os “milhões” gastos de “uma forma escandalosa” por outros partidos em campanha, afirmando que a sua candidatura custará “70 mil euros no máximo”.

“E chegava, se todos os candidatos fossem tratados de igual forma pela comunicação social”, lamentou.

Marinho e Pinto disse acreditar que “se tivesse as mesmas possibilidades durante os quatro anos e durante a campanha” elegeria um deputado, mas sublinhou que “com as dificuldades e sobretudo com a discriminação que os órgãos de comunicação social fazem aos que designam por pequenos partidos é muito mais difícil”.

“Mas não estamos desanimados”, afirmou, elegendo como um das suas principais causas o combate a pobreza.

A pobreza, disse, “não é uma maldição dos deuses, a pobreza é uma consequência de políticas erradas que são feitas à décadas”.

Em seu entender, o combate a esta situação faz-se através de “uma melhor redistribuição da riqueza produzida, fazendo investimentos nos setores produtivos e nos setores que geram emprego, promovendo o povoamento das zonas mais deprimidas do país e não fazer o contrário, como tem acontecido”.

“Os custos [do combate à pobreza] seriam apreciados na altura, mas seriam seguramente uma parte substancial do Orçamento Geraldo Estado disponível”, referiu.

Marinho e Pinto defendeu ainda que “Portugal precisava de refundar a República, de dirigentes políticos com capacidade para relançar as bases fundacionais de uma nova República, que desse ar fresco, oxigénio puro, à Democracia”.

Propõe ainda “a criação do ministério das comunidades”, por considerar que os emigrantes “não podem ser tratados como negócios, muito menos como estrangeiros, no Ministério dos Negócios Estrangeiros”.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.