“O Governo português regista a divulgação dos resultados eleitorais provisórios pela Comissão Nacional de Eleições da Guiné-Bissau, saúda todas os partidos concorrentes e felicita o PAIGC e o seu líder, Domingos Simões Pereira, pela sua vitória”, refere em comunicado o Ministério dos Negócios Estrangeiros, liderado por Augusto Santos Silva.

No documento, o Governo garante que vai continuar empenhado em trabalhar em “estreita proximidade com todas as autoridades guineenses”, tanto ao nível bilateral como “no contexto da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, da União Europeia e das Nações Unidas”.

O Partido Africano para a Independência da Guiné-Bissau e Cabo Verde (PAIGC) venceu as legislativas de 10 de março, com 46,1 por cento dos votos, mas assegura uma maioria absoluta no parlamento apenas com acordos eleitorais, segundo os resultados provisórios hoje anunciados.

No domingo, mais de 761 mil guineenses foram chamados a votar nas três mil mesas de voto, incluindo a diáspora.

Os resultados provisórios divulgados pela Comissão Nacional de Eleições (CNE) atribuem ao Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) 47 dos 102 lugares no parlamento, 27 ao Movimento para Alternância Democrática (Madem G-15), e 21 ao Partido da Renovação Social (PRS).

A Assembleia do Povo Unido - Partido Democrático da Guiné-Bissau (APU/PDGB) ficará com cinco lugares no novo parlamento, enquanto a União para Mudança e o Partido da Nova Democracia, terão um deputado cada.

Mesmo antes de conhecidos os resultados eleitorais provisórios, o PAIGC anunciou um acordo político com a APU-PDGB, depois de já ter assinado um outro, no início da campanha eleitoral, com a União para a Mudança e o Partido da Nova Democracia.

O Madem-G15 assinou também um acordo político com o PRS e anunciou, entretanto, que apresentou várias reclamações junto da Comissão Nacional de Eleições.

Segundo a CNE, houve 15,3% de abstenção.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.