O chefe da Estratégia de Vacinas e Ameaças Biológicas para a Saúde da EMA, Marco Cavaleri, avançou com a notícia numa videoconferência de imprensa, transmitida da sede da agência, em Amesterdão, na Holanda, após a reunião extraordinária do Comité de Medicamentos para Uso Humano.

Marco Cavaleri sublinhou que a decisão da EMA será comunicada à Comissão Europeia, que dará a aprovação final. Contudo, caberá a cada Estado-membro da União Europeia decidir quando e se pretende usar a vacina.

A informação foi também confirmada pela EMA através de um comunicado.

"O Comité de Medicamentos Humanos da EMA (CHMP) recomendou a concessão de uma extensão da indicação para a vacina covid-19 Comirnaty para incluir o uso em crianças de 12 a 15 anos. A vacina já foi aprovada para uso em adultos e adolescentes com 16 anos ou mais", pode ler-se.

É ainda referido que "o uso da vacina Comirnaty em crianças de 12 a 15 anos será o mesmo que em pessoas a partir de 16 anos. É administrada em duas injecções nos músculos da parte superior do braço, com um intervalo de três semanas".

"Os efeitos da Comirnaty em crianças foram investigados em 2.260 crianças com idades entre 12 e 15 anos", refere a EMA, frisando que o estudo mostrou que a imunidade neste grupo etário "foi comparável à resposta imune no grupo de 16 a 25 anos".

No ensaio, nenhum dos adolescentes vacinados teve covid-19 ou foi infetado pelo coronavírus SARS-CoV-2, ao contrário do que sucedeu com 16 participantes de um grupo de controlo, aos quais foi administrado um placebo e ficaram doentes.

No que diz respeito aos efeitos secundários da vacinas nas crianças, estes "são semelhantes aos das pessoas com 16 anos ou mais", incluindo "dor no local da injeção, cansaço, dor de cabeça, dores musculares e articulares, calafrios e febre". A EMA reforça que "esses efeitos são geralmente leves ou moderados e melhoram alguns dias após a vacinação".

Todavia, o comité de segurança da EMA está atualmente "a avaliar casos muito raros de miocardite (inflamação do músculo cardíaco) e pericardite (inflamação da membrana ao redor do coração) que ocorreram após a vacinação com Comirnaty, principalmente em pessoas com menos de 30 anos de idade".

Apesar disso, "atualmente não há indicação de que esses casos se devam à vacina e a EMA está a monitorizar de perto essa questão". De acordo com o CHMP, os benefícios da vacina no grupo etário 12-15 superam os riscos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.