Até ao momento, onze mortos e um sobrevivente foram extraídos da mina a céu aberto situada na região de Chingola, a cerca de 400 quilómetros a norte da capital, Lusaca.

Este acidente poderá tornar-se um dos piores da história da Zâmbia, que é um dos maiores produtores de cobre do mundo.

Cerca de 36 mineiros encontravam-se nos túneis quando foram soterrados por um deslizamento de lama provocado pelas chuvas torrenciais que têm assolado a região nas últimas semanas.

“Vamos continuar a procurar os que estão soterrados porque fazem parte da nossa família”, afirmou o Presidente da Zâmbia, Hakainde Hichilema, no funeral das nove vítimas realizado hoje em Chingola.

“Se eles estivessem no exterior e nós no interior, teriam continuado a procurar-nos”, acrescentou.

Na passada terça-feira, um homem de 49 anos foi retirado dos escombros, onde tinha ficado preso durante cinco dias.

Mas as esperanças de encontrar outros sobreviventes foram diminuindo consideravelmente ao longo do tempo.

Os serviços de salvamento anunciaram no domingo que tinham sido encontrados onze corpos.

A mina de Chingola situa-se na província de Copperbelt, um local de minas ilegais a céu aberto, onde os acidentes mortais são frequentes.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.