O emissário internacional, Ismail Uld Sheij Ahmed, chegou hoje a Sanaa para reunir-se com representantes do movimento rebelde xiita ‘huthi’ e com o seu aliado, o antigo partido do governo do Congresso Popular Gearl, liderado pelo antigo Presidente iemenita Ali Abdalá Saleh.

“Temos ideias […] que queremos aplicar num plano, o qual apresentaremos nas próximas horas”, destacou Sheij Ahmed em declarações à sua chegada ao aeroporto de Sanaa.

Ainda assim, o enviado da Organização das Nações Unidas (ONU) pediu novamente o prolongamento do cessar-fogo, que expirou à meia-noite de sábado e que foi violado por ambos os lados do conflito.

“Reconhecemos que o cessar-fogo é frágil, mas é neste que insistimos porque é necessário que prossiga, uma vez que permitirá a chegada de ajuda humanitária e propiciará o ambiente que procuramos para nos dedicarmos ao processo de paz”, concluiu o mediador.

Segundo dados da ONU divulgados em julho, o conflito no Iémen já provocou mais de 6.400 mortos e 2,8 milhões de deslocados.

Em setembro de 2014, os rebeldes ‘huthis’ e forças aliadas do exército iemenita tomaram o controlo da capital e continuam a controlar diversas regiões do norte do país.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.