“Vai para o local uma equipa do INMLCF de desastres de massa [com múltiplas vítimas], constituída por quatro pessoas que são especialistas na identificação de corpos em casos de catástrofe”, disse hoje à agência Lusa fonte do gabinete de comunicação do Ministério da Justiça.

Segundo a mesma fonte, pelas 02:00 estava a deslocar-se para Pedrógão Grande o presidente do instituto, Francisco Corte-Real, assim como a diretora do Serviço de Patologia.

“Entretanto foi também decidido transferir os corpos das vítimas mortais para a sede do Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses, em Coimbra”, adiantou a mesma fonte.

Vinte e quatro pessoas morreram no sábado no incêndio que deflagrou durante a tarde numa zona florestal no concelho de Pedrógão Grande, distrito de Leiria, e que continua a ser combatido na madrugada de hoje.

"Temos a confirmação de 19 vítimas mortais, civis", disse na noite de sábado o secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, que explicou que 16 pessoas morreram carbonizadas dentro dos carros em que seguiam, na estrada nacional que liga Figueiró a Castanheira de Pêra.

Outras três pessoas morreram por inalação de fumos, no concelho de Figueiró dos Vinhos, acrescentou o secretário de Estado, em declarações aos jornalistas em Pedrógão Grande.

Entretanto, já na madrugada de hoje, o primeiro-ministro, António Costa, anunciou que o número de mortos subiu para 24.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.