“Sei que independentemente de quem vença esta final, ninguém quer ser convidado (para a Casa Branca), nem Cleveland, nem Golden State”, declarou, em conferência de imprensa, LeBron James.

O jogador dos Cleveland Cavaliers, que perdem a final por 2-0 antes do terceiro jogo, respondeu a questões sobre a decisão do campeão de basquetebol, na sequência do conflito entre Trump e os Philadelphia Eagles, campeões de futebol americano.

“Os Philadelphia Eagles não poderão comparecer com toda a equipa para serem homenageados. Não concordam com o presidente, porque este insiste que se levantem com orgulho para o hino nacional, de mão no peito”, pode ler-se num comunicado presidencial, hoje divulgado.

As duas partes têm estado em conflito desde que vários jogadores, com destaque para Colin Kaepernick, decidiram ajoelhar-se durante o hino norte-americano, num protesto contra a violência racial nos Estados Unidos.

“Há tantas coisas em que acreditamos, enquanto norte-americanos, que ele [Donald Trump] não representa. (...) Enquanto for presidente, estas coisas vão continuar a acontecer”, garantiu James.

Stephen Curry, dos Golden State, confirmou as declarações do adversário e explicou que os Warriors iam manter a decisão tomada no ano passado, em que, depois de serem coroados campeões da NBA, recusaram a visita a Washington.

Cavaliers e Warriors defrontam-se quarta-feira em Cleveland, no terceiro jogo da final dos ‘play-offs’ da NBA, disputada à melhor de sete jogos.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.