“O primeiro-ministro Jean Castex apresentou a demissão do Governo ao presidente da República Emmanuel Macron”, dizia a mensagem, segundo referem vários meios de comunicação franceses.

A sede do Governo, no Palácio Matignon, reconheceu que a divulgação do comunicado se deveu a um “erro informático que não deveria ter ocorrido”, informou a rádio pública France Info.

Esta situação ocorre quando na França é aguardada a demissão do Governo, embora não esteja prevista até pelo menos segunda-feira, e se espera que o nome do próximo primeiro-ministro seja anunciado.

O segundo mandato de Macron começou oficialmente hoje, mas a demissão do executivo e a formação do novo foram adiadas por alguns dias.

Inicialmente, o adiamento deveu-se à viagem já anteriormente agendada de Castex ao Vaticano para a cerimónia marcada para domingo de canonização de figuras da Igreja Católica, incluindo três franceses.

No entanto, Paris anunciou esta manhã que Macron viajará este domingo para os Emirados Árabes Unidos por causa da morte do presidente daquele país, Khalifa bin Zayed al Nahayn, bem como para prestar apoio ao novo presidente, o seu irmão Mohammed bin Zayed.

Como o Presidente e o primeiro-ministro não podem estar no exterior ao mesmo tempo, Castex ficará em França e o ministro do Interior, Gérald Darmanin, representá-lo-á na cerimónia do Vaticano.

Macron disse, na última segunda-feira, em Berlim, durante a sua primeira viagem ao exterior após sua reeleição em 24 de abril, que já tinha decidido quem seria o seu próximo primeiro-ministro, mas que não o anunciaria naquele momento.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.