“Nunca iremos desistir. Nunca iremos ceder”, disse Trump durante um comício perante milhares de manifestantes que se deslocaram a Washington para o apoiar, no dia em que o Congresso ratifica o resultado do Colégio Eleitoral, que deu a vitória ao democrata Joe Biden nas eleições presidenciais de 03 de novembro.

“Vencemos esta eleição, e ganhámos em geral”, acrescentou Trump, voltando a desafiar todas as evidências da sua derrota eleitoral.

O Presidente cessante também voltou a pressionar o seu vice-Presidente, Mike Pence, para que não permita que o Congresso ratifique os resultados eleitorais, tirando partido da sua função, por inerência do cargo, de presidente do Senado.

“Eu acabei de falar com Mike. Espero que ele vá fazer a coisa certa. Eu espero. Eu espero. Porque se Mike Pence fizer o que está certo, iremos ganhar as eleições”, disse Trump, perante manifestantes que empunhavam cartazes dizendo que os democratas “roubaram as eleições”.

Mike Pence tem hoje a tarefa, perante o Congresso, de abrir os certificados de voto eleitorais de cada estado e apresentá-los aos escrutinadores indicados pela Câmara de Representantes e pelo Senado, ratificando o resultado do Colégio Eleitoral, que deu a vitória ao candidato democrata, Joe Biden.

Mas Trump, que ainda não aceitou esses resultados das eleições presidenciais, já tinha usado a sua conta pessoal da rede social Twitter para pedir a Pence para não cumprir a tarefa cerimonial e rejeitar a sua validação, durante a sessão conjunta das duas câmaras do Congresso.

“Tudo que Mike Pence tem de fazer é mandá-los de volta para os Estados Unidos. Nós ganhámos!”, escreveu Trump no Twitter.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.