Um cordão humano permitiu salvar nove pessoas na praia de Panama City, na Flórida, no passado sábado, 8 de julho. Seis delas pertenciam à mesma família.

Os indivíduos viram-se arrastados pela forte corrente e não conseguiam sair da água, tendo começado a pedir auxílio. Os banhistas que assistiam ao sucedido uniram-se numa cadeia humana ao longo de cerca de 90 metros que permitiu chegar até às pessoas em risco. Não se registou qualquer vítima mortal.

De acordo com o diário local Panama City News Herald, a praia apresentava bandeira amarela. Roberta Ursrey viu os filhos na água e percebeu que estavam a afastar-se da costa e a entrar em pânico por não conseguirem nadar de volta à praia. Depois disto, a mãe, o pai, a avó, o primo das crianças e três outras pessoas lançaram-se à água, mas também não conseguiram regressar.

Segundo a CNN, quando a polícia e os paramédicos chegaram ainda tentaram entrar na água, mas sem sucesso. "Ficámos na praia apenas a assistir e a polícia disse que estava à espera que chegasse um barco", referiu Rosalind Beckton, uma das pessoas que assistiu ao incidente.

Os indivíduos só foram salvos graças à rápida reação de dois banhistas, Jessica Simmons e o seu marido, que decidiram atuar assim que se aperceberam do perigo. "Estas pessoas não se vão afogar hoje. Não vai acontecer. Vamos tirá-los da água", cita o El País através da agência EFE.

Chegados ao local, as primeiras pessoas retiradas da água foram as crianças, com a ajuda de uma prancha. Através da cooperação de todos, os nove indivíduos foram conduzidos até à orla da praia.

"Foi a coisa mais assombrosa que já vi. Estas pessoas nunca se haviam visto antes e todos confiaram uns nos outros para resgatá-los. Foi realmente inspirador", disse Simmons.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.