Legisladores do Kansas juntaram-se hoje aos seus homólogos em Oklahoma na aprovação de uma legislação que garante proteções legais às agências que “por padrões religiosos ou morais” bloqueiam pais adotivos do espetro LGBT.

No Oklahoma, a medida – aprovada com 56 votos a favor e 21 contra – foi submetida à governadora republicana Mary Fallin, que não declarou ainda se assinará o acordo.

Por sua vez, o projeto-lei aprovado no Kansas impede a proibição das agências religiosas fornecerem assistência social e serviços de adoção para o Estado, mesmo quando estas se recusam a entregar crianças a determinadas famílias sob pretextos religiosos.

A votação no Senado foi de 24 votos a favor a 15 contra, quando a câmara já havia aprovado por 63-58. Está nas mãos agora do governador republicano Jeff Colyer, que o apoia o projeto.

Defensores da medida argumentam que a questão central é “proteger o direito que os grupos têm de viver a sua fé religiosa”, sublinhando que “as agências religiosas operam no Kansas há décadas sem problemas”.

Por sua vez, os críticos consideram-na um ataque aos direitos LGBT.

No Kansas, a medida dividiu a maioria dos republicanos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.