De acordo com segundo o chefe de polícia interino Bill Krampf, em conferência de imprensa, há registo de cinco vítimas mortais e um número não referido de pessoas "gravemente feridas".

O atirador foi detido, informou a mesma fonte, que acrescentou que o FBI não tem informações no sistema sobre o suspeito.

"É um homem branco e estava armado com uma espingarda", disse Ryan Frashure, porta-voz da polícia local, que confirmou que as autoridades recuperaram o que acreditam ser um explosivo que estava no edifício do jornal The Capital. O responsável referiu que a polícia ainda não tem informações sobre os motivos que estiveram na origem do tiroteio.

Apesar do incidente nas suas instalações, o jornal está a reportar o ataque. Essa informação é assegurada pela CNN, já que a página na internet do "The Capital Gazette" não está disponível em vários países europeus, incluindo Portugal.

Donald Trump já reagiu. Através de uma publicação da rede social Twitter, o presidente norte-americano declara que foi informado do tiroteio momentos antes de sair do estado de Wisconsin.

Trump afirma que os seus "pensamentos e orações estão com as vítimas e com suas famílias" e agradece a todos os socorristas no local.

A notícia avançada foi pela Associated Press foi posteriormente confirmada pela autoridade encarregada do controlo de armas de fogo dos Estados Unidos (ATF, na sigla inglesa) que colocou um 'post' na rede social Twitter a confirmar "o tiroteio no jornal The Capital, em Annapolis".

Vários órgãos de comunicação social norte-americanos referiram que o tiroteio ocorreu na sala de redação do jornal.

Algumas imagens do local mostravam pessoas a abandonar o edifício, entretanto evacuado, com os braços no ar.

O alerta foi dado por um estagiário da publicação, Anthony Messenger, no Twitter.

Na mesma rede social outro dos jornalistas da Gazette publicou vários tweets sobre o tiroteio. Phil Davis escreveu que um atirador "atravessou a porta de vidro do escritório e abriu fogo contra vários funcionários".

"Não há nada mais aterrorizante do que ouvir várias pessoas a serem baleadas enquanto estamos escondidos debaixo da nossa mesa e depois ouvir o atirador recarregar a arma", acrescentou o jornalista.

O incidente ocorreu por volta das 15h00 horas locais (cerca das 20h00 horas em Portugal continental).

(Notícia atualizada pelas 07h34 de 29/06/2018)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.