Esta legislatura, com Governo de minoria do PS e o apoio dos partidos de esquerda, PCP, BE e PEV, “será indiretamente sufragada nas europeias”, afirmou César no discurso de um jantar com militantes e deputados em Alpalhão, Nisa, com que se iniciaram as jornadas de proximidade em Portalegre e que terminam na segunda-feira.

O líder parlamentar socialista considerou que os resultados do Governo são “um sucesso” que, “quer queiram quer não queiram, os outros partidos não podem deixar de reconhecer”.

E deu o exemplo da quebra do desemprego, em especial entre os jovens, ou ainda do trabalho do executivo para reduzir as desigualdades no país.

César aconselhou os eleitores a, em 26 de maio, pensarem de uma só vez se consideram se “valeu a pena ou não dar força à governação do PS” e se não valerá a pena “dar força ao PS na Europa”.

Pedro Marques, o ex-ministro do Planeamento e atual cabeça de lista do PS às europeias, encerrou o jantar com deputados e militantes socialistas do distrito de Portalegre.

Lembrando que os seus adversários à direita, Paulo Rangel (PSD) e Nuno Melo (CDS), andam "muito curiosos" sobre o seu trabalho enquanto ministro, sugeriu-lhes que fossem até Elvas, não muito longe de Portalegre, para ver as obras de ligação ao Caia, a maior obra ferroviária projetada nos últimos cem anos.

E pediu uma mobilização aos militantes e apoiantes para as eleições de 26 de maio, prometendo fazer por Portugal na Europa o que, disse ter feito no Governo "a favor do Interior" do país.

As jornadas de proximidade levam na segunda-feira os deputados do PS a fazer visitas a vários concelhos do distrito de Portalegre.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.