Cerca de 400 pessoas juntaram-se hoje, na Alfândega do Porto, para um comício-jantar do BE no penúltimo dia de campanha para as europeias, uma corrida eleitoral que Marisa Matias garantiu que não “foi de silêncios” e que o objetivo foi ouvir, porque “as pessoas querem ser ouvidas, não querem ser ouvintes”.

A primeira candidata do BE ao Parlamento Europeu focou o discurso na União Europeia, que “está num momento difícil” porque está muito dividida, por exemplo, pelas “regras que servem o sistema financeiro, mas que não protegem os pensionistas”.

“Quem está a construir a União Europeia está a querer dividir-nos. O nosso projeto é, por isso, o projeto da união e é no domingo que a união vai a votos”, avisou.

Este projeto, prosseguiu Marisa Matias, “é o respeito, é a dignidade, é a justiça”, o que se consegue com “pleno emprego e o fim da pobreza”.

“O que nos une é o que construímos em conjunto para nos protegermos uns aos outros”, explicou, dando o exemplo do Serviço Nacional de Saúde, escola pública ou o estado social.

E acrescentou: "O cimento deste projeto é também o planeta, o lugar onde habitamos".

“Se a cada dia nos tentam dividir, nós dizemos que o nosso projeto é a união, de quem luta, de quem trabalha, que não se cansa, de quem sabe que a Europa pode ser um lugar diferente. É esta a união que queremos para a união”, disse.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.