"Eles dizem 'venham daí', mas depois cortam-nos as hipóteses de crescer. Entendemos que devia haver uma verba, mesmo que residual, para entregar a todos os partidos”, defendeu o candidato.

O cabeça de lista do PURP às eleições europeias, que falava aos jornalistas, ao final desta manhã, durante uma visita à Feira do Relógio, em Lisboa, criticou o dinheiro gasto pelos “grandes” em cartazes, quando os pequenos têm dificuldade para fazer campanha fora da região de Lisboa.

“Isto mais parece um circo. De norte a sul mais parece um hipermercado em tempo de saldos. Aqueles outdoors. Para quê gastar dinheiro quando eles já são conhecidos?”, questionou.

Fernando Loureiro referiu que até ao momento o partido gastou apenas 500 euros nas suas ações de campanha, que têm decorrido essencialmente na Área Metropolitana de Lisboa e do Porto.

“Não temos dinheiro para nos metermos num avião e ir à Madeira ou aos Açores. Nem para ir ao Algarve temos dinheiro”, lamentou.

Contudo, apesar destas adversidades, o cabeça de lista do PURP sublinhou o facto de o partido ter vindo a crescer no número de pessoas inscritas.

“Todos os dias temos cerca de 10 pessoas que demonstram interesse em se inscrever no partido. Infelizmente os jovens estão mais reticentes, mas contamos com eles, assim como com os reformados e antigos combatentes do ultramar”, concluiu.

As eleições para o Parlamento Europeu realizam-se no dia 26 de maio.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.