Mark Steven Domingo, de 28 anos, pretendia detonar duas bombas caseiras carregadas com pregos longos no evento planeado em Long Beach em abril de 2019.

O FBI encontrou-o cedo e, antes da sua prisão, agentes secretos garantiram que as bombas não funcionassem como planeado, de acordo com o departamento.

Na quarta-feira, Domingo foi considerado culpado por um júri de fornecer apoio material ao terrorismo e tentativa de usar uma arma de destruição em massa. As acusações acarretam pena máxima de prisão perpétua.

Domingo, que serviu no Afeganistão entre setembro de 2012 e janeiro de 2013, aparentemente começou a meditar sobre a realização de um ataque terrorista no início de 2019, decidindo seguir em frente após o tiroteio em massa de 15 de março em duas mesquitas em Christchurch, Nova Zelândia, que deixou 50 mortos.

Em publicações num grupo privado de internet, Domingo disse que os Estados Unidos "precisam" de outro tiroteio em massa "para lhes dar um gostinho do terror que espalharam com gosto pelo mundo". "Houve tiroteios em mesquitas na Nova Zelândia. Deve haver retaliação", escreveu o ex-militar.

Domingo considerou perpetrar ataques contra judeus, igrejas e agentes da polícia, antes de decidir sobre o evento da supremacia branca, de acordo com o Departamento de Justiça.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.