“Confirmamos a receção da solicitação para a detenção dos militares pela Polícia Judiciária Militar”, confirmou à agência Lusa o porta-voz do exército, Vicente Pereira, na sequência das notícias avançadas pela imprensa de que foram detidos sete militares.

De acordo com o Correio da Manhã, os detidos são um tenente-coronel, um capitão, três tenentes e dois sargentos, que eram, respetivamente, o diretor da prova, o médico de serviço e os cinco instrutores do curso de Comandos responsáveis pelos exercícios que levaram à morte dos militares, a 04 de setembro.

O jornal indica que os cinco oficiais e dois sargentos respondem por vários crimes de abuso de autoridade e por ofensas à integridade física, arriscando penas até aos 16 anos.

“Os sete estão a ser detidos na Amadora e serão levados para o presídio militar de Tomar. Só amanhã deverão ser presentes ao juiz, em Lisboa”, é ainda referido.

Dois militares morreram na sequência do treino do 127.º Curso de Comandos na região de Alcochete, no distrito de Setúbal, que decorreu no dia 04 de setembro, e vários outros receberam assistência hospitalar.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.