“As tropas continuarão a agir contra qualquer ameaça”, declarou Daniel Hagari, principal porta-voz do Exército, descrevendo o incidente de hoje como uma nova violação do cessar-fogo temporário em vigor desde sexta-feira, e que deverá terminar dentro de horas se a negociação em curso não conseguir prolongar a trégua entre as partes.

O cessar-fogo começou na sexta-feira às 07:00 locais (05:00 em Lisboa), e expira na quinta à mesma hora.

Israel aguarda a libertação na noite de hoje de 12 reféns na Faixa de Gaza, em troca de 30 palestinianos detidos, 15 mulheres e 15 crianças, como tem acontecido diariamente desde sexta-feira.

Até agora, o Hamas libertou 83 reféns — 63 israelitas e 20 estrangeiros, mas ainda permanecem 159 em cativeiro na Faixa de Gaza, informou hoje Hagari. Em contrapartida, um total de 180 mulheres e crianças palestinianas foram libertadas das prisões israelitas.

A guerra entre Israel e o Hamas começou em 7 de outubro, após um ataque surpresa do grupo palestiniano que deixou pelo menos 1.200 mortos em Israel e mais de 240 pessoas feitas prisioneiras na Faixa de Gaza. Desde então, os ataques israelitas deixaram mais de 15 mil palestinianos mortos no enclave, a maioria crianças e mulheres.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.