Na semana passada, a Autoridade Tanzaniana de Proteção das Plantas e Pesticidas (TPHPA) matou cinco milhões de aves na região de Manyara, no norte do país, onde mais de 400 hectares de culturas comerciais estavam ameaçados.

“Matámos cinco milhões de aves destruidoras e estamos agora a monitorizar outras áreas”, disse à agência AFP o diretor-geral da TPHPA, Joseph Ndunguru.

Os Quelea Quelea, ou Trabalhadores de Bico Vermelho, que viajam em grandes bandos, já causaram estragos em culturas em África no passado, com invasões que geralmente ocorrem no início da estação seca, em setembro e outubro.

Ndunguru disse que a agência tinha visado os enxames com pulverização aérea, incluindo com recurso a drones, durante um período de quatro dias, matando-os antes de danificarem os campos de arroz no norte da Tanzânia.

De acordo com o TPHPA, as aves são capazes de destruir mais de 50 toneladas de culturas alimentares num único dia.

Em 2013, o Uganda exterminou 1,8 milhões de Quelea Quelea, também para proteger os campos de arroz, uma medida criticada pelos ambientalistas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.