O incidente aconteceu na noite de quinta-feira, pouco depois do início de "Die schutzbefohlenen" ("Os suplicantes"), uma obra da Prémio Nobel de Literatura austríaca Elfriede Jelinek, interpretada por um grupo de refugiados sírios, iraquianos e afegãos, todos atores amadores. Segundo a polícia, cerca de 30 manifestantes invadiram o palco durante alguns minutos mostrando bandeiras e um cartaz onde se podia ler "Hipócritas. A nossa resistência é contra a decadência!". Também atiraram folhetos que diziam que o "multiculturalismo mata".

Houve uma breve briga entre espectadores e extremistas, que foram finalmente expulsos do teatro. A peça prosseguiu sem problemas. O ministro da Cultura, Josef Ostermayer, classificou o episódio como "escandaloso", o último ataque de uma série de provocações nacionalistas. A obra de Jelinek, apresentada pela primeira vez na Alemanha, em 2014, é um ataque feroz contra o tratamento considerado desumano dado às pessoas que pedem asilo na Europa. 

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.