Desde a invasão russa da Ucrânia, foram lançadas numerosas campanhas de angariação de fundos para ajudar os ucranianos, desde campanhas GoFundMe a reservas na Airbnb. Em Chicago, a loja de brinquedos Citizen Brick decidiu juntar-se a estas angariações de forma diferente, ao criar uma versão do presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, em estilo "Lego", conta o The Guardian. De recordar, todavia, que a Citizen Brick não está ligada à marca.

Joe Trupia, proprietário da loja, justificou a ideia, apesar de não ter qualquer ligação ao país: "Apenas senti que tinha de agir usando o que tinha", disse ao The Washington Post.

Como resultado, decidiu desenhar dois tipos de modelos que pensou que simbolizam a "bravura do país face à tirania": o presidente ucraniano e, talvez o mais controverso, os pequenos cocktails molotov.

A figura estilo "Lego" de Zelenskiy retrata o presidente com a sua atual indumentária: uma t-shirt e casaco verde militar, botas pretas, cabelo curto e barba por fazer — e uma expressão que combina de alguma forma fadiga e rebeldia.

"É um tipo que poderia ter fugido do país com uma mala cheia de dinheiro e, em vez disso, está a ficar ao lado do seu povo... fiquei muito impressionado com a sua firmeza e com a esperança que parece dar às pessoas", disse Trupia ao jornal americano.

Quanto ao cocktail molotov, o dono da loja identifica-o como "um sinal de rebelião desesperada de pessoas comuns com poucas armas". E se as críticas não tardaram a chegar, por poder incitar à violência, também há que ver a componente solidária do projeto: há "ironia em vender um pequeno dispositivo incendiário de brinquedo para comprar material médico para refugiados".

As vendas dos bonecos começaram a 5 de março, com a figura Zelenskiy a custar 100 dólares (cerca de 90 euros) e os cocktails molotov 10 dólares cada (cerca de 9 euros). A empresa angariou, no total, 145.388 dólares (pouco mais de 131 mil euros), vendendo cada lote numa questão de horas.

Na passada quinta-feira, Citizen Brick anunciou que esgotou todas as figuras e que doou as receitas à organização de caridade Direct Relief, que está a responder aos apelos humanitários da Ucrânia.

Devido ao fornecimento limitado de peças necessárias, o fabricante não vai conseguir produzir mais brinquedos daquele tipo. "Gostaria muito que pudéssemos fazer mais, mas não estávamos realmente preparados para isso", disse Trupia.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.