“Em abril, quando começaram a ser emitidos os Navegante, fizemos um alerta para o Metropolitano e para a Autoridade Metropolitana de Lisboa sobre esta situação. Prevíamos que os postos de atendimento não iam ser suficientes aquando do início das aulas em setembro, era expectável estas filas enormes”, disse à Lusa a porta-voz da Comissão de Utentes dos Transportes Públicos.

Para Cecília Sales, as “filas longas são um grande transtorno para os utentes” e daí que tenham aumentado o número de reclamações entre segunda-feira e hoje.

Não colocando em causa aquilo que consideram de “uma boa medida para os utentes”, dado que o passe Navegante Municipal e Navegante Metropolitano baixou consideravelmente o valor dos passes, para 30 e 40 euros, respetivamente, Cecília Sales considerou que o aumento da procura por estes títulos não foi acautelado pelas autoridades.

“Desde o início dissemos que o número de postos de atendimento não eram suficientes, nem tão pouco o número de autocarros é suficiente para o número de pessoas que agora os utilizam”, avançou.

Na segunda-feira ao final do dia foram vários os utentes que se queixaram nas redes sociais e em mensagens enviadas à Lusa das extensas filas para comprar o passe de outubro.

Alguns questionavam se a fila “de hora e meia” que enfrentavam na estação da CP das Mercês, linha de Sintra, teria a ver com a aquisição do Navegante Família, que ainda não é possível carregar através do multibanco.

Contactada pela agência Lusa, fonte da Autoridade Metropolitana de Lisboa explicou não ter dados para relacionar as filas com a venda ou pedido do Navegante Família, adiantando que estes problemas são recorrentes no final e no início do mês.

A AML acrescentou ainda que existem bilheteiras específicas para o Navegante Família e que os utentes que queiram carregar os restantes Navegante podem fazê-lo por multibanco a partir do dia 26 de cada mês, escusando de ir para as filas dos postos de atendimento.

De momento, a AML ainda não pode avançar com uma data para o carregamento do Navegante Família - cujo preço máximo equivale a dois passes, ou seja 80 euros, e é permitido a várias pessoas do mesmo agregado familiar -, através do multibanco.

O Navegante Família pode ser adquirido em alguns postos da Carris, da CP, da Fertagus, da Barraqueiro – Transportes Mafrense, Metropolitano de Lisboa (Jardim Zoológico, Entrecampos e Alameda), Metro Transportes do Sul, Scotturb, Rodoviária de Lisboa, Transportes Coletivo do Barreiro, Transportes Sul do Tejo, Transtejo-Soflusa e Vimeca Transporte.

Desde 01 de abril que os utentes passaram a ter dois modelos de passes na AML, o Navegante Metropolitano, que permite a utilização “em todos os modos de transporte, todas as empresas de transportes em toda a Área Metropolitana de Lisboa” e que custa no máximo 40 euros mensais.

Foram também criados 18 passes Navegante Municipal, um para cada um dos 18 concelhos que integram a AML e que, por 30 euros, permitem ao utente utilizar todos os transportes públicos de um concelho, ficando com a denominação da área geográfica a que diz respeito, como por exemplo Navegante Lisboa, Navegante Sintra ou Navegante Vila Franca.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.