“Noventa por cento do edifício é irrecuperável”, disse Emílio Torrão à agência Lusa, no final de uma visita às instalações, na companhia de técnicos da Proteção Civil Municipal.

Frisando que “é muito elevado” o nível de destruição da Soltotal, no Parque Industrial de Montemor-o-Velho, distrito de Coimbra, que fabricava “pellets” de madeira para aquecimento e produtos para animais de estimação, Torrão disse desconhecer se os trabalhadores continuarão ou não ao serviço da empresa.

O dono, que segundo o autarca “não está disponível para falar” aos jornalistas, desenvolve outras atividades económicas no concelho.

Da unidade destruída pelo fogo, “só se aproveita minimamente a parte de escritórios, refeitórios e pequenos arrumos”, que dava apoio à produção, acrescentou.

O incêndio eclodiu na segunda-feira, pouco antes das 22:00, numa altura em que já não estavam pessoas no interior da fábrica, e foi combatido durante mais de duas horas, tendo sido dominado cerca das 00:18, informou o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Coimbra.

Além de responsáveis da Proteção Civil local, liderada pelo presidente da Câmara de Montemor-o-Velho, e da GNR, estiveram no local 64 operacionais de diversos corpos de bombeiros da região, apoiados por 22 viaturas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.