De acordo com uma nota daquela força policial, o Comando Territorial de Coimbra, através do Núcleo de Investigação Criminal da Lousã, deteve, na quinta-feira, um casal (ela de 48 anos de idade, ele de 38), por “cultivo de plantas de canábis”, na zona Góis.

“No âmbito de uma investigação por cultivo de estupefacientes, que decorreu durante dois meses”, os militares da GNR “deram cumprimento a dois mandados de busca às residências e aos veículos dos suspeitos”, tendo apreendido as plantas e diverso material.

Além de “1.472 plantas de canábis, em várias fases de maturação”, também foram apreendidos 25 quilos de sementes de canábis, três telemóveis, dois computadores portáteis e um tablet.

A plantação de canábis desenvolvia-se junto à habitação do casal, em Vila Nova do Ceira, disse à agência Lusa fonte do comando do Destacamento Territorial da GNR na Lousã.

Aos suspeitos, já ouvidos no Tribunal Judicial de Coimbra, foi aplicada a medida de coação de termo de identidade e residência, adianta a GNR, referindo que a operação contou ainda com “o empenhamento de militares do Posto Territorial de Góis”.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.