Em nota hoje publicada na sua página, a Procuradoria-Geral Distrital do Porto refere que, de acordo com a acusação, o militar recebeu, em 9 de outubro de 2018, no Posto Territorial da GNR de Braga, uma bolsa contendo, além do mais, 105 euros.

A bolsa foi ali confiada por uma cidadã para que a GNR diligenciasse pela sua entrega à proprietária, uma vez que a encontrara perdida na via pública.

O Ministério Público “considerou indiciado” que o arguido, após receber a carteira, retirou da mesma a quantia de 105 euros, “que fez sua”.

Ainda de acordo com a acusação, o arguido, confrontado com a prática dos factos, procedeu à devolução da quantia em causa à sua legítima proprietária.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.