com o apoio MEO
em modo Escuro poderá poupar até 30% de energia. Saiba mais

Governo dos Açores: "O diálogo é o fermento e o cimento deste Governo", afirma José Manuel Bolieiro

O presidente do Governo dos Açores, José Manuel Bolieiro, garantiu hoje que o seu executivo construirá consensos com a sociedade e parceiros sociais, sendo que "o diálogo é o fermento e cimento" do recém-empossado Governo.
Governo dos Açores:
O presidente indigitado do Governo Regional dos Açores, José Manuel Bolieiro (C), fala aos jornalistas após ter entregue a composição do XIII Governo Regional ao representante da República para os Açores, Pedro Catarino (ausente da fotografia), no Solar da Madre de Deus, em Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores, 20 de novembro de 2020. ANTÓNIO ARAÚJO/LUSA Lusa

O social-democrata falou na Assembleia Legislativa da região, na cidade da Horta, minutos depois de tomar posse como presidente do XIII Governo Regional dos Açores, e reconheceu a "exigente missão" que tem pela frente.

"É com profundo e convicto sentido cívico de responsabilidade democrática, ao serviço dos Açores e da nossa autonomia política, que assumo esta muito exigente missão de liderar o XIII Governo dos Açores, resultante do quadro político e parlamentar atual", declarou Bolieiro.

"Medimos os desafios a enfrentar e sentimos a impaciência acumulada nos anos passados que sobre nós pode desabar. Mas não tememos os riscos, nem receamos a esperança. A força forja-se na luta, a firmeza no combate pelos princípios, a coragem no enfrentar da crise", declarou o social-democrata, citando uma frase de Francisco Sá Carneiro, antigo primeiro-ministro de Portugal e histórico líder do PSD, que liderou o país, acrescentando: "Em tempos muito complexos, social e economicamente, mas também politicamente".

O executivo, de coligação e com acordos parlamentares, é "feito pelo e no parlamento" e tem uma "orientação programática plural, que respeita proporcionalmente" a composição do hemiciclo açoriano, acrescentou.

Aos partidos que formam a coligação de Governo - PSD, CDS e PPM - o executivo lembrará "sempre que o Governo é dos Açores" e "aos partidos que apoiam no parlamento esta solução governativa", Chega e Iniciativa Liberal, será dito "que o Governo corresponderá aos acordos e os saberá sempre ouvir".

"Aos partidos que votarão contra este Governo, diremos que o nosso diálogo não os excluirá", prosseguiu o novo presidente do executivo.

"O Governo que hoje aqui tomou posse e se apresentou, com esta missão e orgânica compatível com os seus objetivos e prioridades, está precisamente à altura dessa enorme responsabilidade. Assim confio. Estamos disponíveis para o debate plural e democrático, com respeito pela integridade das pessoas e das instituições, que representam legitimamente a vontade do povo", afirmou.

Este, acrescentou ainda Bolieiro, será um "Governo personalista e humanista, defensor das liberdades individuais e dos direitos fundamentais consagrados constitucionalmente, que reconhece e promove a liberdade da iniciativa privada, o papel regulador do Estado e o papel fundamental da família" na sociedade.

No "centro" da sua ação, prosseguiu, estará o "combate à pobreza e à desigualdade e o apoio aos mais frágeis, não deixando ninguém para trás".

"Este será um Governo de diálogo com a sociedade, com os parceiros sociais, com os sindicatos e com as forças vivas da sociedade, pois governar é escutar e decidir com responsabilidade e oportunidade", sublinhou ainda o governante.

Artur Lima: "Vamos dar resposta à mudança que os açorianos pediram"

O vice-presidente do Governo dos Açores, o centrista Artur Lima, garantiu que o executivo está "preparado para trabalhar", asseverando ainda que os governantes hoje empossados irão "dar resposta à mudança que os açorianos pediram".

Falando aos jornalistas, no final da tomada de posse do XIII Governo dos Açores, o responsável declarou que, no quadro pandémico atual, "em primeiro lugar" estará na preocupação do executivo a "saúde e segurança dos açorianos", mas haverá também, por exemplo, um "combate determinado, com firmeza, à pobreza" e um reforço na educação e na "qualificação dos jovens".

"O Governo está com humildade preparado para trabalhar. Julgo que temos um bom governo, de gente competente, que sobretudo tem uma missão: governar bem para os Açores e os açorianos. É esse o espírito que nos move", declarou ainda Artur Lima.

O novo Governo Regional dos Açores tomou hoje posse perante a Assembleia Legislativa da região, na cidade da Horta.

A cerimónia arrancou cerca das 15:00 locais (16:00 em Lisboa) e teve como convidados, entre outros, o antigo presidente do Governo Regional Mota Amaral e o chefe do executivo cessante, Vasco Cordeiro.

Na semana passada tomaram já posse os novos 57 deputados eleitos nas eleições regionais de 25 de outubro, tendo também sido eleito o novo presidente da Assembleia Legislativa, o social-democrata Luís Garcia, da ilha do Faial.

Com a entrada em funções, o novo executivo tem agora 10 dias para entregar à Assembleia Legislativa o programa de Governo.

[Notícia atualizada às 18:45]

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Veja também

 
 
 

Comentários

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa , as nossas notificações ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.
mookie1 gd1.mookie1