Numa declaração na assembleia regional de Holyrood, a líder do Partido Nacionalista Escocês (SNP) afirmou que iria "reiniciar" o processo e fazer uma nova avaliação à medida e aguardar até ao outono de 2018 para avaliar uma decisão.

"Não vamos introduzir legislação para um referendo sobre a independência imediatamente", anunciou.
A prioridade do governo escocês, vincou, será de manter o Reino Unido no mercado único europeu no quadro das negociações do 'Brexit'.

Porém, acrescentou, o executivo "continua fortemente empenhado no princípio de oferecer à Escócia a escolha no fim deste processo".

Nicola Sturgeon tinha prometido em março realizar um segundo referendo à independência da Escócia entre o fim de 2018 e o início de 2019 para dar aos escoceses uma opção sobre a saída do Reino Unido da União Europeia.

O SNP fez campanha contra o 'Brexit' e a maioria dos eleitores escoceses votou contra a saída, que foi votada por 52% dos eleitores britânicos no referendo de 23 de junho de 2016.

Entretanto, Sturgeon também admitiu a necessidade de reavaliar a posição sobre a independência após o resultado das eleições legislativas de junho, que decretou a perda de 21 dos 54 deputados que possuía, todos para partidos que se opõem à independência.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.