“O Presidente da República Bolivariana da Venezuela, Nicolás Maduro, em nome do povo e do Governo venezuelano rejeita a decisão unilateral do Presidente norte-americano, Donald Trump, de retirar o seu país do Plano Conjunto de Acão Abrangente, acordo assinado em julho 2015 entre a República Islâmica do Irão e o grupo G5+1″, explica, em comunicado.

O documento, divulgado pelo Ministério de Relações Exteriores da Venezuela refere que o acordo em questão “foi o resultado construtivo e compartilhado, de 12 anos de negociações e diplomacia ativa entre os países signatários”.

“Vale a pena salientar que em quase três anos do acordo, as partes têm repetidamente confirmado a sua execução e bom funcionamento através da Associação Internacional de Energia Atómica (AIEA), pelo que esta medida de administração de Trump é um passo injustificável, indesejado e errático”, afirma Maduro.

Na nota, o Governo venezuelano “exorta os outros membros do Plano Conjunto de Acão Conjunto Abrangente, assim como a comunidade internacional, para encontrar formas de preservar o espírito e aplicação deste importante acordo”.

“A República Bolivariana da Venezuela reitera mais uma vez a sua profunda amizade e solidariedade com o povo e o Governo do Irão e espera que o valor supremo de paz e respeito pela soberania da República Islâmica do Irão, sejam o sustento de soluções a construir entre as partes envolvidas “, conclui.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.