Contactada pela agência Lusa, fonte do Comando Territorial da GNR de Viana do Castelo, explicou que a detenção, na terça-feira, resultou de uma investigação que decorria desde dezembro.

A fonte revelou que o processo começou em meados de 2019, quando o homem foi referenciado por violência doméstica sobre a mulher, processo que "não chegou a avançar por falta de testemunhas".

Em dezembro, o militar envolvido no caso inicial confirmou que "as ameaças contra a mulher continuavam, tendo comunicado a situação ao Ministério Público (MP) que ordenou as buscas efetuadas na terça-feira".

Os militares da Guarda Nacional Republicana envolvidos na operação realizaram uma busca domiciliária e uma busca em veículo, tendo apreendido quatro espingardas de caça de calibre 12, uma carabina, uma arma de ar comprimido, uma arma de fogo de fabrico artesanal, uma arma branca, um bastão artesanal e um taco de basebol.

Foram ainda apreendidas 1.246 munições de diversos calibres.

O homem foi constituído arguido, e os factos remetidos para o Tribunal Judicial de Arcos de Valdevez.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.